Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/7874

TitleEstilos de vida : o que dizem os professores ; a realidade dos alunos
Author(s)Rodrigues, Vitor
Carvalho, Graça Simões de
Gonçalves, Artur
Albuquerque, Carlos
KeywordsEducação para a Saúde
Hábitos alimentares
Álcool
Tabaco
Drogas
Comportamentos sexuais
Issue date31-Jan-2008
PublisherInstituto Superior de Psicologia Aplicada
CitationLEAL, I. [et al.], ed. lit. – “Intervenção em psicologia e saúde : actas do Congresso Nacional de Psicologia da Saúde, 7, Porto, Portugal, 2008”. [Porto : Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde, 2008]. ISBN 972840082-9. p. 717-720.
Abstract(s)Tendo por premissa que a educação para a saúde é um processo de capacitação, participação e responsabilização que deve conduzir os jovens à adopção e manutenção de estilos de vida saudáveis, desenvolvemos o presente estudo que teve como objectivos: conhecer as concepções de educação para a saúde dos professores; caracterizar as suas actividades de educação para a saúde; conhecer os hábitos alimentares dos alunos, tipo de actividade física e identificar comportamentos de risco, nomeadamente no que diz respeito ao consumo de tabaco, bebidas alcoólicas, drogas ilícitas e comportamento sexual. É um estudo descritivo e transversal, em que os dados foram recolhidos através de um questionário on line, tendo sido garantido o anonimato e a confidencialidade dos dados. Participaram neste estudo um total de 77 professores, e 467 alunos, provenientes de Escolas situadas na região norte de Portugal. Resultados: Todos os professores do 1º ciclo e de ciências naturais (2º ciclo) dizem realizar Educação para a saúde, enquanto que os professores das ciências exactas e tecnologias dizem não realizar; a maior parte dos professores diz que quem deve ensinar educação para a saúde são os pais, professores e profissionais da saúde em conjunto; cerca de dois terços dos jovens dizem não ter experimentado tabaco, a bebida mais consumida é o vinho; a maioria dos jovens diz não consumir qualquer tipo de droga ilícita e são os rapazes que afirmam mais frequentemente já ter tido relações sexuais. Conclusões: A educação para a saúde é um processo de capacitação, participação e responsabilização que deve levar os jovens a adoptarem e manterem estilos de vida saudáveis. Consideramos, este estudo como um ponto de partida necessário a que uma intervenção comunitária em termos de educação para a saúde se possa efectivar.
TypeArticle
URIhttp://hdl.handle.net/1822/7874
ISBN972840082-9
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CIEC - Artigos (Papers)
DCILM - Livros de Actas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Estilos Vida_profs-alunos.pdfArtigo141,56 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID