Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/6903

TítuloFamily systems medicine : what´s in a name
Autor(es)Pereira, M. Graça
Smith, Thomas Edward
Palavras-chaveFamily systems medicine
Biopsychosocial medicine
Medicina familiar sistémica
Medicina biopsicossocial
Data2006
RevistaArquivos de Psiquiatria
Citação"Arquivos de psiquiatria". 3:1-2 (2006) 71-83.
Resumo(s)Family Systems Medicine as an interdisciplinary field was coined in 1983 having at its core the biopsychosocial model and a "systems language". This newfield is interdisciplinary and includes the contribution of family medicine, family therapy and systems theory. Family Medicine is committed to the care of the "whole"person in the contexto the famiIy, rather than the perpetuation of organ and disease based medicine. As a recent discipline, family medicine is in the process of developing an identity for itself. Family therapy is characterized by a focus on holistic and contextual language and like family medicine speaks from a nonreductionist approach providing the necessary tools to address the patient-in-context. Systems thinking allows the family physician to expand from the pure individual biomedical model to the multicausal, interactional approach allowing the physician to shift from the individual to the family as the unity of care. This paper addresses important issues at the core of family systems medicine: collaboration between the disciplines involved, its contribution to biopsychosocial medicine differences in focus between family systems medicine, psychosomatic medicine, behavioral medicine and health psychology and finally the evolution of the field .
A Medicina famíliar Sistémica como uma área interdisciplinar foi criada em 1983, tendo como base o modelo biopsicossocial uma "linguagem sistémica". Esta nova área é interdisciplinar e inclui a contribuição da medicina familiar, terapia familiar e teoria de sistemas. A medicina familiar dedica-se ao cuidar da pessoa "como um todo" no contexto da família e não na perpetuação duma medicina centrada nos órgãos e doença. Como disciplina ainda recente, a medicina familiar está no processo de desenvolver uma identidade para si mesma. A terapia familiar caracteriza-se por um foco numa linguagem holística e contextual e, tal como a medicina familiar, possui uma abordagem não reduccionista fomecendo as ferramentas necessárias para lidar com o paciente-em-contexto. O pensamento sistémico permite ao médico de família expandirdo modelo puramente biomédico para uma abordagem multicausal, interaccional, permitindo-lhe passar do indivíduo para a família como unidade de cuidados. Este artigo aborda questões fundamentais centrais da medicina familiar sistémica: colaboração entre as disciplinas envolvidas, contribuição para a medicina biopsicossocial, diferenças em termos de foco entre a medicina familiar sistémica, a medicina psicossomática, a medicina comportamental e a psicologia da saúde bem como a evolução desta nova área de intervenção.
Tipoarticle
URIhttp://hdl.handle.net/1822/6903
Arbitragem científicayes
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:CIPsi - Artigos (Papers)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO FAmily Systems Medicine.pdf5,06 MBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis