Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/36338

TitleImpacte do programa educativo ‘Planear saúde na escola’ em dois gémeos adolescentes obesos: um estudo de caso
Author(s)Vieira, Margarida
Carvalho, Graça Simões de
KeywordsObesidade
Adolescentes
Intervenção em meio escolar
Estudo de caso
Issue date2015
PublisherEscola Superior de Educação do Porto
CitationVieira, M. & Carvalho, G.S. (2015). Impacte do programa educativo ‘Planear Saúde na Escola’ em dois gémeos adolescentes obesos: um estudo de caso. In: Atas do XI SIEFLAS (Seminário Internacional de Educação Física, Lazer e Saúde): Perpsetivas de Desenvolvimento num Mundo Globalizado. Porto: Escola Superior de Educação do Porto. pp. 494-563.
Abstract(s)A obesidade tem um peso fortemente negativo sobre a saúde individual das crianças, sobre as suas famílias e, de uma forma global, na saúde pública do país. É necessária uma intervenção eficaz para travar e solucionar a obesidade, sendo a prevenção a resposta mais eficaz. O programa educativo ‘Planear Saúde na Escola’ (PSE) que desenvolvemos integra conhecimentos sobre alimentação saudável e vida ativa, orientando os adolescentes para adotarem hábitos de vida saudáveis, colocando-os como sujeitos ativos participantes do processo de mudança. Implementou-se em adolescentes do 6º ano de escolaridade (11 e 12 anos), durante um ano letivo completo. Este estudo de caso avalia o impacte do PSE em dois gémeos obesos de 11 anos (rapaz e rapariga). Foram sujeitos a três avaliações: antes do programa (baseline), no final de 8 meses de programa (pós-PSE) e 12 meses depois (longo termo). A avaliação compreendeu medidas antropométricas (peso, altura e perímetro da cintura) e comportamentos sobre hábitos de vida (questionário sobre o consumo alimentar e de estilo de vida, 7 diários alimentares). Na baseline, os gémeos considerados obesos (Cole et al., 2000), apresentaram um índice de massa corporal (IMC) de 37,5 e 26,46kg/m2 e perímetro da cintura (PC) de 117 e 91cm, respetivamente. Após o programa, observaram-se melhorias das atitudes, comportamentos e nos parâmetros antropométricos: o gémeo diminuiu 10,0% ao IMC e 5,8% no PC (menos 9 cm), mantendo-se na categoria de obeso; a gémea diminuiu 8,0% no IMC e 9,6 no PC (menos 8,7cm), passando de obesa para excesso de peso. No longo termo observou-se um ligeiro aumento dos parâmetros, mas não se aproximaram dos valores da baseline. A participação no programa promoveu mudanças nas atitudes e comportamentos dos dois adolescentes, permitindo uma evolução positiva no estado nutricional e o seu efeito prolongou-se até um ano depois, data do último contacto.
TypeConference paper
URIhttp://hdl.handle.net/1822/36338
ISBN978-972-8969-11-0
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CIEC - Textos em atas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SIEFLAS_Obesidade-Gemeos,p494-499.pdfArtigo2,27 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID