Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/21651

TítuloOs direitos fundamentais na Constituição da República Democrática de Timor-Leste e na jurisprudência do Tribunal de Recurso
AutorJerónimo, Patrícia
Palavras-chaveDireitos Fundamentais
Constituição
Timor-Leste
DataAgo-2012
EditoraCoimbra Editora
CitaçãoJERÓNIMO, Patrícia, "Os direitos fundamentais na Constituição da República Democrática de Timor-Leste e na jurisprudência do Tribunal de Recurso", in Marcelo Rebelo de Sousa et al. (coords.), Estudos de Homenagem ao Prof. Doutor Jorge Miranda, vol. III, Coimbra, Coimbra Editora, 2012, pp. 105-131
ResumoPronunciando-se, em 1999, sobre as perspectivas de uma futura Constituição timorense, Jorge Miranda observou que esta haveria naturalmente de compreender os grandes elementos comuns a um Estado de Direito democrático – os direitos, liberdades e garantias pessoais, o sufrágio universal, o pluralismo partidário, a existência de um Parlamento, a independência dos tribunais, e os princípios de legalidade e de constitucionalidade. O texto constitucional saído dos trabalhos da Assembleia Constituinte timorense, eleita a 30 de Agosto de 2001, confirmou este prognóstico. A importância dos direitos fundamentais e, mais genericamente, dos direitos do homem em Timor-Leste dificilmente pode ser sobrestimada. A importância dos direitos do homem é plenamente assumida pela Constituição da República Democrática de Timor-Leste, que identifica a República como um Estado de Direito democrático baseado no respeito pela dignidade da pessoa humana (artigo 1.º, n.º 1), inclui a protecção dos direitos humanos entre os princípios norteadores do Estado timorense nas relações internacionais (artigo 8.º, n.º 1) e incorpora a Declaração Universal dos Direitos do Homem como critério interpretativo dos direitos fundamentais (artigo 23.º, 2.ª parte). Esta importância é também atestada pela rapidez com que Timor-Leste ratificou os principais instrumentos internacionais de direitos humanos, instrumentos cujas normas, por força do artigo 9.º da Constituição, vigoram na ordem jurídica timorense e se sobrepõem ao Direito interno de nível infraconstitucional. É sobre o sistema de direitos fundamentais – resultante, no essencial, do catálogo inscrito na Parte II da Constituição timorense – que versa este estudo. Por razões que se prendem com a economia da exposição, centramo-nos nos princípios gerais, enunciados no título I da Parte II, ainda que não deixemos de fazer referências pontuais aos direitos, liberdades e garantias pessoais, elencados no título II, e aos direitos e deveres económicos, sociais e culturais, incluídos no título III. Faremos também, onde oportuno, referência à ainda incipiente jurisprudência do Tribunal de Recurso sobre esta matéria.
TipobookPart
URIhttp://hdl.handle.net/1822/21651
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:ED/DCJP - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Estudos de homenagem ao Prof Doutor Jorge Miranda.pdfDocumento principal77,52 MBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis