Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/9038

TitleSimbólico, linguagem e ética: Lacan, entre filosofia e psicanálise
Author(s)Rocha, Acílio da Silva Estanqueiro
KeywordsLacan, Jacques
Aristoteles
Bem
Ciência
Desejo
Estádio do espelho
Estética
Estruturalismo
Ética
Fala
Freud, S.
Inconsciente
Intersubjectividade
Kant, E.
Lei
Levi-Strauss
Linguagem
Metáfora
Metonímia
Psicanálise
Saussure, F.
Significação
Simbólico
Aesthetics
Desire
Ethics
Good
Intersubjectivity
Law
Metaphor
Metonymy
Phase of mirror
Psychoanalysis
Signification
Speech act
Struturalism
Symbolic
Unconscious
Language
Science
Issue date2003
PublisherUniversidade Católica Portuguesa. Faculdade de Filosofia de Braga
JournalRevista Portuguesa de Filosofia
CitationROCHA, Acílio da Silva Estanqueiro – “Simbólico, linguagem e ética : Lacan, entre filosofia e psicanálise”. Braga : Faculdade de Filosofia, 2003. p. 483-512. Sep. "Revista Portuguesa de Filosofia", vol. 59, n.º 2 (2003).
Abstract(s)No intuito de dilucidar o “simbólico”, “linguagem” e “ética” revelam-se como instâncias incontornáveis na articulação entre filosofia e psicanálise, pelo que o autor do presente artigo recorre essencialmente aos escritos de.Jacques Lacan em ordem à prossecução desse fim. Assumindo a obra de Lacan como inovadora, controversa e dissidente, o artigo analisa até que ponto a proclamação lacaniana de um "retorno a Freud" equacionou de um modo novo o acesso ao simbólico e à questão da linguagem, nomeadamente graças a uma análise estrutural em que o inconsciente – “estruturado como uma linguagem” –, pressupõe uma analítica clínica em novos moldes, pela relevância da “retórica do inconsciente” (por metonímias e metáforas), cujo “jogo de verdade” se processa não só por um manifesto não-cartesianismo, mas ao modo da “ek-sistência” heideggeriana. Mais ainda, o processo, longe de pressupor um sujeito único (Hegel), mostra que a situação do desejo é insuperável – há apenas verdade parcial. A analítica da condição humana acaba por postular, na senda de Aristóteles e Kant, mais do que uma relação entre “ética e psicanálise”, uma verdadeira "ética da psicanálise ", de cariz quase-kantiano. O artigo mostra ainda, finalmente, até que ponto numa conjugação entre ética e estética, a consideração do bem acaba por carecer de um refluxo no discurso do belo.
With the intention of elucidating the “symbolic” in the articulation between philosophy and psychoanalysis, “language” and “ethics” constitute necessarily complicit instances. To this end, the present article resorts to the writings of Jacques Lacan, writings known to be innovative, controversial and dissident. The article seeks to analyze the extent to which the call to “return to Freud” provides a new way of approaching the symbolic and the question of language. This is due to the employment of structural analysis and the subsequent finding that the unconscious is “structured as a language”. This presupposes a clinical analysis that brings to light the “rhetoric of the unconscious” (metonymy and metaphor), of which its "game of truth" proceeds in a manner that is not only non-Cartesian but also reflects the Heideggerian idea of ek-sistentia. In addition, not presupposing an unique subject (Hegel), the theory demonstrates that the problematic of desire cannot be overcome and that truth is only partial. Following Aristotle and Kant, the article offers an analysis of how the human condition postulates an “ethics of psychoanalysis”.
TypeArticle
DescriptionArtigo publicado em número da Revista consagrado ao tema "Filosofia e Psicanálise: perspectivas de diálogo".
URIhttps://hdl.handle.net/1822/9038
ISSN0870-5283
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CEHUM - Artigos publicados em revistas
CEPS - Publicações dos investigadores do CEPS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Simbólico, Linguagem e Ética.pdf9,85 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID