Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/7641

TitleConcepções dos alunos dos ensinos básico e secundário sobre a "toxicodependência" - riscos e prevenção
Author(s)Gonçalves, Artur
Carvalho, Graça Simões de
Rodrigues, Vitor
Albuquerque, Carlos
KeywordsÁlcool
Tabaco
Drogas
Alunos
Issue date31-Jan-2008
CitationLEAL, I. [et al.], ed. lit. – “Intervenção em psicologia e saúde : actas do Congresso Nacional de Psicologia da Saúde, 7, Porto, Portugal, 2008”. [Porto : Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde, 2008]. ISBN 972840082-9. p. 115-118.
Abstract(s)A droga é um problema social que afecta particularmente os jovens. Para a prevenção do uso/abuso de drogas em 1974 o Comité de Sábios em Farmocodependência estabeleceu a doutrina da OMS a este respeito, considerando a escola como um dos pilares básicos na prevenção da drogodependência (Rush, 2000). Também a ONU no Conselho da Europa, a UNESCO e outros organismos internacionais alinham pelo mesmo diapasão, reconhecendo na escola o centro ideal de prevenção da toxicodependência, uma prevenção inserida no plano global da Educação para a Saúde (Negreiros, 2000). Assim, o enfoque escolar e a prática docente sobre a toxicodependência como doença do foro psicológico deve assentar, não num modelo que vise exclusivamente a abstinência, mas, num amplo quadro que reflicta as implicações e complexidades biológica, psicológica, histórica e social deste problema, objectivando à intencionalidade do princípio causal (predictores/factores de vulnerabilidade-factores de risco) ou seja deve de forma democrática, sistemática e intencional formar cidadãos construtivos, sócio-críticos, ecológicos e éticos, dotando-os de “empowerment” e “literacia crítica” (Carvalho, 2003). Em função do quadro atrás aduzido e, pretendendo compreender as dinâmicas educativas promovidas no domínio das drogas e da toxicodependência, duas questões se impõem: 1 - Que avaliação fazem os alunos às práticas escolares no que concerne a riscos e prevenção do uso/abuso de drogas 2 – Que concepções têm os alunos sobre a abordagem feita pelos programas e manuais escolares à problemática das drogas? Os alunos reconhecem o uso/abuso aditivo como problema grave com implicações sociais, individuais, económicas e de saúde pública; mais presente no género masculino e com origem nas dinâmicas valorativas, culturais, socio-económicos e idiossincráticas. À escola é reconhecido importante papel preventivo (informação, competências), todavia, reconhecem também que as acções de prevenção incorporadas nas práticas escolares tem pouca expressividade. Sobressair ainda a necessidade da abordagem à problemática do álcool, tabaco e outras drogas começar numa idade precoce (início do ensino obrigatório-1ºCEB), centrada na transversalidade disciplinar e liderada pelos próprios professores (generalistas ou especialistas). No domínio técnico-político identificam uma insuficiência programática na abordagem à problemática aditiva, a qual, introduz problemas de natureza didáctica.
TypeConference paper
URIhttp://hdl.handle.net/1822/7641
ISBN9728400829
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CIEC - Textos em atas
DCILM - Livros de Actas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Toxicodepend_alunos.pdfArtigo187,37 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID