Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/47935

TitleA mediação familiar e as realidades (para)familiares, em especial a união de facto: dissonância prático-legal?
Author(s)Cruz, Rossana Martingo
KeywordsMediação familiar
União de facto
Issue date2015
PublisherEdições Almedina, S.A.
Abstract(s)A mediação familiar, enquanto mecanismo de resolução alternativa de litígios, tem sido usada, entre nós, maioritariamente, para conflitos decorrentes do divórcio e das responsabilidades parentais. Apesar do preceito legal, que define a competência material do nosso sistema de mediação familiar, ter um elenco meramente exemplificativo, este evidencia uma conceção ainda pouco inclusiva de diferentes formas de família. Ou seja, não vai para além dos conflitos emergentes das fontes jurídico-familiares presentes no elenco (taxativo) do artigo 1576.º do Código Civil. Embora, na prática, a limitação nem sempre exista - uma vez que os mediadores não excluem realidades familiares (ou parafamiliares) do seu exercício - a verdade é que os nossos textos legislativos podem ser dúbios quanto à integração de certas realidades conexas com a família. Quando nos referimos a realidades próximas de família (de acordo com uma perceção tradicional da mesma) ou a novas formas de família, há uma que ocupa uma posição de destaque, pela sua vasta incidência na sociedade: a união de facto. A alternativa à conjugalidade sempre existiu mas, nas últimas décadas, em virtude de vários fatores socioeconómicos, atingiu uma preponderância que tem forçado o legislador a, cada vez mais, compor o seu entorno legal. Por conseguinte, devemos acautelar legalmente, de forma inequívoca, a possibilidade de os dissídios subsequentes a esta convivência análoga ao casamento, constarem do elenco material do artigo 4.º do Despacho n.º 18778/2007 do Gabinete do Secretário de Estado da Justiça, diploma que regula a atividade do sistema de mediação familiar em Portugal. Ora, se propugnamos uma efetivação da mediação familiar, não devemos limitar a sua aplicabilidade legal nem os seus destinatários a uma ideia de família que a realidade já há muito superou.
TypeConference paper
URIhttp://hdl.handle.net/1822/47935
ISBN978-972-40-6458-1
Peer-Reviewedyes
AccessRestricted access (Author)
Appears in Collections:ED/DH-CII - Comunicações e conferências

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Actas FDUP - Autonomia e heteron omia no Direito da Família-1.pdf
  Restricted access
7,58 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID