Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/47412

TítuloA adoção e o apadrinhamento civil em Portugal: diferentes formas de oficializar o cuidado parental?
Autor(es)Cruz, Rossana Martingo
Palavras-chaveAdoção
Apadrinhamento civil
DataOut-2016
EditoraGEN - Grupo Editorial Nacional
Resumo(s)O Código Civil português de 1966 passou a reconhecer a adoção como fonte de relações jurídico-familiares. A adoção é um parentesco legal que assenta numa verdade afetiva, ao invés do facto biológico inerente ao parentesco natural. A adoção pauta-se pelo superior interesse da criança, daí que só possa ser decretada quanto apresente reais vantagens para o adotando. Este integrar-se-á completamente na família dos adotantes. Por sua vez, o apadrinhamento civil é uma solução para crianças e jovens (muitas vezes institucionalizados) que, por diferentes motivos, não seguem a via da adoção mas que também não têm uma opção de vida viável junto da família biológica. Nestes casos, o apadrinhamento civil poderá ser a resposta para que estas crianças e jovens possam crescer e desenvolver-se num meio familiar. O apadrinhamento civil é uma medida assente no afeto que coexiste com a filiação natural, ou seja, não extingue o vínculo com a família biológica. Propomo-nos apresentar estas duas figuras de cuidado e proteção paterno-filial, analisando-as criticamente
TipobookPart
URIhttp://hdl.handle.net/1822/47412
ISBN9788597009170
Arbitragem científicano
AcessoclosedAccess
Aparece nas coleções:ED/DH-CII - Livros e Capítulos de livros

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Cuidado e Afetividade - Adocao e Apadrinhamento Civil.pdf8,62 MBAdobe PDFVer/Abrir  Solicitar cópia ao autor!

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis