Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/40746

TitleComo o videojogo se afastou do jogo, através da narrativa e criatividade
Author(s)Zagalo, Nelson
KeywordsVideojogos
Narrativa
Criatividade
Issue date2015
PublisherUniversitat Autònoma de Barcelona. Institut de la Comunicació (InCom-UAB)
Abstract(s)(Excerto) Continuamos a confundir o jogo com o videojogo, assumindo na maior parte das vezes, o segundo como um mero sucedâneo digital do primeiro. Contudo esta não passa de uma ideia simplista da arte dos videojogos que se transformou por completo desde que surgiu em meados do século vinte. O jogo enquanto estrutura sistémica criada pelo ser-humano responde por um lado às necessidades sociais e culturais de aprendizagem (Huizinga, 1939; Caillois, 1958; Gee, 2003), e por outro às necessidades cognitivas de recompensa na forma de resolução de problemas (Kenrick e Griskevicius, 2013). Ou seja, enquanto artefacto cultural o jogo permite-nos apreender o desconhecido, interagir com o outro e optimizar as nossas respostas sociais. Enquanto estímulo cognitivo o jogo atua de forma a recompensar o nosso esforço, engajando-nos através da insistência e da repetição com descargas de prazer. E é por isso que o jogo tem sido visto pela cultura humana como um dos mais importantes exercícios no processo de construção civilizacional.
TypeBook part
URIhttp://hdl.handle.net/1822/40746
ISBN978-84-942706-5-9
Publisher versionhttp://incom.uab.cat/download/ebook_incomuab_repensar.pdf
AccessOpen access
Appears in Collections:CECS - Livros e capítulo de livros / Books and book chapters

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
NZ_2015_ebook_incomuab.pdf325,52 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID