Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/24810

TitleAnálise da concepção de ciência de futuros professores de biologia brasileiros e portugueses
Author(s)Silva, Paloma R.
Araújo, Elaine Sandra Nicolini Nabuco de
Carvalho, Graça Simões de
Caldeira, Ana Maria de Andrade
KeywordsEnsino de biologia
Natureza da ciência
Neutralidade
Salvacionismo
Issue dateFeb-2013
PublisherUniversidade de Santiago de Compostela (USC)
Abstract(s)Segundo a perspectiva salvacionista, a Ciência e a Tecnologia (CT) sempre são desenvolvidas para solucionar os problemas da humanidade. Percebemos que nesta ideia está arraigada uma concepção linear de progresso, isto é, que o desenvolvimento científico promove o desenvolvimento tecnológico, que implica em desenvolvimento econômico, promovendo, portanto, desenvolvimento social (González, Lopes e Luján, 1996). Entretanto, o desenvolvimento CT não pode ser considerado livre de valores e interesses políticos e econômicos. Essa concepção equivocada, que se baseia no discurso de que a CT é desenvolvida para beneficiar as maiorias, faz com que a sociedade espere que a solução de seus problemas venha somente do desenvolvimento científico, esquecendo-se, no entanto, das dimensões históricas, sociais, econômicas e culturais. De acordo com Auler e Delizoicov (2001), a CT podem, sim, contribuir significativamente no campo técnico, no entanto, existem outras dimensões que devem ser consideradas. A neutralidade da ciência também compõe a perspectiva tradicional de ciência, e pode ser assim entendida: “(...) a neutralidade afirma que uma teoria poderia ser aplicada, em princípio, a práticas pertinentes a qualquer perspectiva de valor e não serve de modo especial aos interesses de nenhuma perspectiva de valor particular” (Lacey, 1998, p. 14). Nesta perspectiva, então, a ciência é tida como algo desconexo dos valores sociais e culturais, não tomando partido e não servindo a nenhum interesse específico. Com base nestes pressupostos, buscamos compreender neste estudo o modo como a Ciência é entendida por dois grupos de futuros professores de Biologia, sendo um formado por brasileiros e outro por portugueses, comparando as respostas dos estudantes dos dois países, buscando analisar as semelhanças e diferenças entre os grupos. Para obtenção dos dados, construímos uma escala do tipo Likert (Babbie, 1990), contendo 32 assertivas. Após a validação semântica e estatística (Cronbach, 1951), α = 0,743, o questionário foi respondido por 35 estudantes do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas do Estado de São Paulo (Brasil – BR) e 49 estudantes, também do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, do distrito de Braga (Portugal – PT). A análise estatística foi realizada usando software Statistical Packet for Social Sciences (SPSS). Foram analisadas as frequências das respostas, e as assertivas mais importantes foram identificadas por meio da Análise dos Componentes Principais (ACP).Os resultados apontaram para forte influência das perspectivas salvacionista e neutralista nas respostas dos estudantes de ambos os países. Em relação a assertiva Q10, 85,7% dos portugueses e 68,5% dos brasileiros concordaram com a afirmação. Entendemos que ao concordar com esta assertiva o respondente ignora que, apesar da importância, somente as técnicas de clonagem não poderão garantir a cura das doenças, uma vez que há outros fatores, como sociais, políticos e econômicos, que deverão ser considerados.
TypeConference paper
URIhttps://hdl.handle.net/1822/24810
ISBN978-84-695-6938-2
Publisher versionhttp://contece.ffyh.unc.edu.ar/en/actas/
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CIEC - Textos em atas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CTE_Ciencia.pdfArtigo1,7 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID