Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/1349

TitleComparação entre metodologias para a definição de zonas urbanas homogéneas mediante uma aplicação ao noroeste de Portugal
Author(s)Miranda, Vasco Peixoto
Ramos, Rui A. R.
KeywordsEstatística Espacial
GIS
Áreas metropolitanas
Conurbações
Issue dateOct-2004
PublisherAssociação Portuguesa de Geógrafos
CitationCONGRESSO DA GEOGRAFIA PORTUGUESA, 5, Braga, 2004 – “Congresso da Geografia Portuguesa : actas”. [S.l. : APG, 2004].
Abstract(s)Um dos problemas que se coloca às actuais políticas de planeamento e ordenamento do território é a existência de aglomerações urbanas cujos limites territoriais não correspondem à divisão administrativa estabelecida. Estas aglomerações ultrapassam os limites administrativos de uma cidade/município, correspondendo frequentemente a um agrupamento de municípios vizinhos. São muitos os problemas associados ao Planeamento e Ordenamento do Território que advêm desta forma de organização espacial que não coincide com as delimitações administrativas instituídas e daí a necessária preocupação com a delimitação destas conurbações ou áreas metropolitanas. As metodologias desenvolvidas com este objectivo variam em termos de dados de base utilizados e de métodos de cálculo, conduzindo a diferentes resultados. O objectivo desta comunicação é apresentar uma comparação entre duas metodologias para a definição de zonas urbanas homogéneas que se baseiam na hipótese de que a densidade populacional, na ausência de outras medidas que descrevam os movimentos dos indivíduos, permite avaliar, ainda que indirectamente, o nível de actividade e dinâmica do território. A primeira metodologia recorre a técnicas de Análise Exploratória de Dados Espaciais (Exploratory Spatial Data Analyses - ESDA) e a segunda metodologia recorre à atribuição de um índice, resultante do seu ranking relativamente à variável em análise num contexto espacial, tanto local como nacional, a cada uma das zonas censitárias. A aplicação das referidas metodologias ao Noroeste de Portugal, nomeadamente às NUTS III do Minho-Lima, do Cávado e do Ave, é pertinente. O país tem duas áreas metropolitanas bem consolidadas, as de Lisboa e do Porto, no entanto, outros espaços podem vir a ser incluídos na mesma categoria. Os resultados obtidos pela implementação das metodologias são confrontados com as delimitações previstas para as unidades territoriais supramunicipais em fase de constituição: Grande Área Metropolitana do Minho, VALIMAR (Comunidade Urbana) e Vale do Minho (Comunidade Intermunicipal).
TypeConference paper
URIhttp://hdl.handle.net/1822/1349
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CEC-PT - Comunicações a Conferências Nacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CongGeog2004.pdf1,48 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID