Planeamento Territorial : [97] Statistics

Por altura da sua criação, por volta de 1994, a equipa da Linha de Investigação em Planeamento Territorial do Centro de Engenharia Civil da Universidade do Minho resumia-se a três elementos, onde apenas o Coordenador era doutorado.

As linhas de força da estratégia de desenvolvimento assumida foram:
- Adoptar campos disciplinares de investigação actuais e inovadores, com relevância nacional e internacional, capazes de atrair novos projectos e investigadores e evitando sobreposição com a actividade de outros centros de investigação do país;
- Definir uma matriz estratégica que combinasse, por um lado, os métodos, técnicas e ferramentas científicas (scientific toolbox) e, por outro lado, as áreas-problema a abordar;
- Promover, no que se refere ao scientific toolbox, uma capacitação sustentada segundo uma cadeia baseada na aquisição, consolidação e transferência de know-how entre investigadores, numa lógica de equipa;
- Adoptar áreas-problema que se desdobram em projectos de investigação, de acordo com as oportunidades e a relevância nacional/internacional, as quais são objecto de abordagens que utilizam como recursos as entradas do scientific toolbox;
- Como regra geral, a abertura duma nova frente de investigação deveria corresponder ao preenchimento de uma ou várias células da matriz, evitando-se sempre que possível abrir uma frente para a qual não existisse ainda qualquer know-how simultaneamente em termos de ferramentas (linhas da matriz) e de áreas-problema (colunas da matriz).

As ferramentas que integram o scientific toolbox da matriz são, até ao momento:
GIS Sistemas de Informação Geográfica
AE Análise espacial
MCE Avaliação multicritério
MLA Modelação location-allocation
MA Modelação acústica
MPA Modelação da poluição atmosférica
MT Modelação térmica (em colaboração)
NN Redes neurais
CA Autómatos celulares

Por sua vez, as áreas-problema tratadas até ao momento são:
PGUS Planeamento e gestão do uso do solo
LAAI Localização e avaliação de áreas industriais
LE Localização de equipamentos
QVU Qualidade de vida urbana
DE Desempenho energético de layouts urbanos
AA Avaliação da acessibilidade

Para o desenvolvimento da investigação, a Linha mantém activos dois laboratórios: um no Campus de Gualtar, em Braga, e outro no Campus de Azurém, em Guimarães.

Actualmente, a Linha de Investigação integra 8 investigadores residentes, dos quais 3 são doutorados e os restantes detêm o grau de mestre, para além de investigadores visitantes que desenvolvem trabalho no Centro em períodos descontínuos.

Browse