Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/8701

TitleA construção de carreira no ensino superior
Other titlesCareer construction in higher education
Author(s)Silva, Ana Daniela
Advisor(s)Taveira, Maria do Céu
Fernandes, Eugénia M.
KeywordsConstrução da carreira
Ensino superior
Género
Career construction
Higher education
Gender
Issue date26-Nov-2008
Abstract(s)O presente estudo pretende compreender de que modo mulheres e homens constroem os seus percursos de carreira no Ensino Superior. Concretamente, seguindo o modelo de compreensão das teorias de carreira proposto por Savickas (2004), este estudo pretende avaliar eventuais mudanças em aspectos motivacionais, psicossociais e identitários de estudantes do último ano da Licenciatura, do início para o final do ano lectivo. O estágio curricular, neste estudo, foi entendido como uma antecâmara entre dois contextos desenvolvimentais (Ensino Superior versus Mundo do Trabalho), e por tal, foi considerado um contexto de exploração do Self e do Mundo do Trabalho, seguindo a ideia de alguns autores que assumem o estágio como uma etapa determinante do desenvolvimento vocacional dos estudantes universitários (Feiman-Nemser & Buchmann, 1987; Feldman, Folks, & Turnley, 1998; Caires & Almeida, 2001). Este estudo tem como objectivo último, através da compreensão da forma como os estudantes constroem a carreira nesta fase das suas vidas, ajudar a definir as condições e critérios necessários para assegurar a eficácia e qualidade das intervenções de carreira no contexto educativo em que este projecto se insere, dando especial destaque ao estudo das disparidades de género na construção de carreira no Ensino Superior e como estas interagem com a forma como as/os estudantes se projectam no futuro. Realizou-se um estudo empírico de medidas repetidas, no qual participaram 80 estudantes de graduação da Universidade do Minho, do noroeste de Portugal, inscritos pela primeira vez no último ano do curso de licenciatura, no ano lectivo de 2005/2006. Dos 80 estudantes, 49 são mulheres (61,25%) e 31 são homens (38,75%), com idades compreendidas entre os 21 e os 45 anos, sendo a média de 23,9 anos, com um desvio-padrão de 4,31. Esta amostra final corresponde a 68% do total de participantes envolvidos na investigação. O plano de avaliação da construção da carreira utilizado incluí para além da recolha de dados de identificação sócio-demográfica e de projecção na carreira (Silva & Taveira, 2005), um inventário, o Dellas Identity Status Inventory–Occupation (DISI-O; Dellas & Jernigan, 1981, adap. de Taveira, 1986), para avaliar os modos de construção de identidade de carreira (Silva & Taveira, 2005), e uma original Grelha de Repertório da Carreira, para avaliar a relação estabelecida pelos estudantes entre construtos, aspectos identitários e figuras determinantes da construção da sua identidade e percursos de carreira. Os resultados obtidos, na generalidade, revelam que os estudantes entre os dois momentos de estudo, alteram de forma estatisticamente significativa a sua construção de carreira em relação a um conjunto considerável de dimensões. Salientam-se as mudanças verificadas em termos da organização de papéis de vida, em particular, o relevo dado, no segundo momento de avaliação, ao papel doméstico, bem como, em termos do conteúdo dos objectivos em cada papel de vida, a diminuição de estudantes que desejam ou pretendem continuar estudos após a licenciatura, ou o aumento da indecisão relativa quanto ao número de empregos que desejam vir a ter. Verifica-se, ainda, uma mudança nas dimensões de identidade vocacional, registando-se modos de resolução de identidade mais positivos no final da licenciatura. No entanto, alguns indicadores da Grelha de Repertório da Carreira sugerem que, no final da licenciatura, os estudantes enfrentam mais dificuldade em construir significados em torno da carreira, demonstrando maior rigidez e indefinição no sistema de construção. A análise de medidas repetidas em mulheres e homens separadamente, revela que as mulheres registam diferenças estatisticamente significativas entre os dois momentos de estudo, em mais objectivos de vida do que os homens, nomeadamente nos domínios académico, profissional e familiar. O contacto com o mercado de trabalho proporcionado pelo estágio parece ter mais influência e negativa na forma como as mulheres se projectam em termos futuros do que nos homens, com redução no nível de aspirações académicas e aumento de indecisão quanto ao emprego. Em termos da construção da carreira, torna-se relevante apontar, ainda, que no final da licenciatura, as mulheres parecem, construir o self como mais distante do que o que idealizam para elas mesmas e como mais próximo das outras pessoas do ponto de vista da carreira, do que os homens. Todos os resultados são analisados e discutidos à luz da teoria e investigação empírica no âmbito da Psicologia Vocacional, bem como, com base no panorama actual do Ensino Superior Português. Com base nos resultados, sugerem-se pistas de intervenção psicológica e educacional neste contexto, bem como, trilhos de investigação futuros.
This study aims to contribute to the understanding of how men and women construct their career trajectories in higher education, and to the evaluation of the impact of a preprofessional experience (traineeship) in this construction. Specifically, following the convergence model of career theory proposed by Savickas (2004), this study aims to assess changes in motivational, psychosocial and identity aspects of higher education students in their last year of graduation, more specifically, between the beginning and the end of the school year. The traineeship was seen as a prelude between two developmental contexts (Higher Education versus Work Market), and therefore, it was considered a context of Self-Environmental Exploration, following the idea of some authors who assume the traineeship as a decisive phase of students’ career development (Feiman-Nemser & Buchmann, 1987; Feldman, Folks, & Turnley, 1998; Caires & Almeida, 2001). Through the understanding of how students construct career at this stage of their lives, we also intended to define the necessary conditions and criteria to ensure the effectiveness and quality of career interventions in the educational context in which the project was developed. Participants in this empirical study of repeated measures were 80 students from the University of Minho, north-western Portugal, who attended, for the first time, the last year of their graduation, during 2005-2006. Of the 80 students, 49 were women (61.25%) and 31 were men (38.75%), with ages ranged from 21 to 45 years old, and the average being 23.9 years old, with a standard deviation of 4.31. This final sample corresponds to 68% of the total group of participants involved in the research assessment procedures. The assessment plan included measures of demographic and socio-economic characteristics and of career projection (Silva & Taveira, 2005), as well as the Dellas Identity Status Inventory–Occupation (DISI-O; Dellas & Jernigan, 1981, adap. by Taveira, 1986) to assess modes of vocational identity construction, and a Career Repertory Grid (Silva & Taveira, 2005), developed for the purpose of the study, to assess career constructs interrelations, and aspects of the self and of significant others involved in the students’ career self construction. The obtained results, in the generality, show that the students between two moments of study change in a statistically significant form, their career construction, regarding a considerable set of dimensions. It is worthwhile to mention here, the changes registered in the salience of liferoles from time 1 to time 2, with a stronger emphasis of Home life activities in the second moment of evaluation; and the changes registered from time 1 to time 2, in the content of liferole goals, with few of the students wanting or claiming to pursue post-graduate studies and more students registering job indecision, in time 2. A statistically significant difference between time 1 and time 2 in the dimensions of vocational identity was also analyzed, suggesting more positive ways of resolution of identity in the end of the degree course. However, some indicators of the GRC suggest that in the end of the degree course the students face more difficulty in building meanings around their career, demonstrating wider rigidity and vagueness in their career self construction system. The analysis of repeated measures in women and men, separately, also evidence that women register statistically significant differences between the two moments of the study in more life goals than men, in the academic, professional and familiar domains. The contact with the labor market provided by the traineeship seems to have more negative influence in the way women project themselves in the future, than in the way men do, with the reduction of academic aspirations and raising of job indecision in the latter. Additionally, in terms of career construction, in the end of the degree course women seem to build their self as more distant than they idealize for themselves and closer to their view of significant others, than do men. All the results are analyzed and discussed regarding career theory and research, as well as current perspectives on Portuguese European higher education. Based on the study’s results, future psychological and educational interventions and research studies are also suggested.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de Doutoramento em Psicologia - Área de Conhecimento de Psicologia Vocacional
URIhttp://hdl.handle.net/1822/8701
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese final completa.pdf1,34 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID