Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/85911

TitleAvaliação de uma iniciativa de comunicação de saúde para jovens: o curso 2’ Minutos para mudar de vida
Other titlesEvaluation of a health communication initiative for young people: the 2' Life changing minutes course
Author(s)Gomes, Ana Antunes Coelho
Advisor(s)Ruão, Teresa
KeywordsCancro
Prevenção de cancro
Comunicação estratégica de saúde
Ipatimup
Cancer
Cancer prevention
Health strategic communication
Issue date28-Jun-2023
Abstract(s)A Europa é a casa de cerca de um décimo da população mundial, no entanto, é o continente que regista o maior número de casos de cancro a nível mundial, contando com um quarto do total. Desta forma, o cancro, revela-se um sério problema de Saúde Pública e merecedor de atenção por parte das nossas autoridades de saúde e governantes. Apesar de alguns números poderem ser explicados pelo aumento da esperança de vida- uma vez que o cancro faz parte de um conjunto de doenças que tende a aparecer em idades mais avançadas-, hoje sabe-se que cerca de 40% do total de novos casos poderiam ser evitados se fossem tidas em consideração as medidas individuais de prevenção. Para além disso, se tivermos, também, em consideração o incumprimento dos programas de rastreio, o desconhecimento da história familiar e os sinais de alerta aos quais devemos estar atentos, essenciais para a deteção precoce e para a sobrevida, a percentagem de mortes por cancro devido a fatores preveníveis chega até aos 70%. A Comunicação de Saúde pode ser vista como uma atividade que consiste em iniciativas de comunicação interpessoal ou para massas, com o potencial de melhor os níveis de Literacia em Saúde de um indivíduo ou população. Nesta perspetiva, este processo desempenha um importantíssimo papel nas questões de Saúde Pública, uma vez que a Literacia em Saúde nos permite navegar no sistema de saúde e tomar decisões importantes acerca do nosso bem-estar físico e emocional, assim como dos nossos significativos. Por outro lado, a Comunicação de Saúde, de um modo geral, segue uma abordagem muito tradicional e, por isso, pouco atrativa. Ainda, o facto de sermos constantemente bombardeados com certas informações, pode tornar-nos insensíveis à sua mensagem. Assim, é urgente que existam Unidades e Gabinetes de Comunicação capazes de pegar neste assunto de forma audaz e testar novas abordagens e técnicas de comunicação. Além disso, é também importante começar a pensar em incluir os jovens no momento de planeamento destas estratégias. O seguinte Relatório de Estágio pretende compreender de que forma as estratégias de comunicação levadas a cabo pelas organizações científicas contribuem para aproximar a sociedade e, mais concretamente, os jovens da Prevenção de Cancro. Partindo das perspetivas críticas de diversos autores na área da Ciência e Comunicação, assim como da Comunicação de Ciência e Saúde, cruzando com a própria experiência de estágio, a Comunicação Estratégica será aqui apontada como parte intrínseca à Prevenção de Cancro.
Europe’s home to about one tenth of the world's population, yet it is the continent that registers the highest number of cancer cases worldwide, accounting for a quarter of the total. Cancer is therefore a serious Public Health problem and deserves the attention of our health authorities and governments. Although some numbers can be explained by the increase in life expectancy - as cancer is a set of diseases that tends to appear at more advanced ages -, today it is known that about 40% of all new cases could be avoided if individual prevention measures were considered. Furthermore, if we also take into consideration the non-compliance with screening programs, the lack of knowledge of family history and the warning signs, essential for early detection and survival, the percentage of cancer deaths due to preventable factors reaches up to 70%. Health Communication can be seen as an activity consisting of interpersonal or mass communication initiatives with the potential to improve the Health Literacy levels of an individual or population. From this perspective, this process plays a very important role in Public Health issues, as Health Literacy allows us to navigate the health system and make important decisions about our health and our significant others. On the other hand, Health Communication, in general, follows a very traditional and therefore unattractive approach. Furthermore, the fact that we are constantly bombarded with certain information can make us insensitive to its message. Therefore, it is urgent that there are Communication Units and Offices capable of taking this issue boldly and testing new approaches and communication techniques. In addition, it is also important to start thinking about and including young people in the planning of these strategies. The following Internship Report aims to understand how communication strategies carried out by scientific organizations contribute to bringing society, and more specifically young people, closer to cancer prevention. Based on the critical perspectives of several authors in the field of Science and Communication, as well as Science and Health Communication, aligning with the internship experience itself, Strategic Communication will be pointed out as an intrinsic part of Cancer Prevention.
TypeMaster thesis
DescriptionRelatório de estágio em Comunicação de Ciência (especialização em Comunicação de Ciência)
URIhttps://hdl.handle.net/1822/85911
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado
CECS - Dissertações de mestrado / Master dissertations

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ana Antunes Coelho Gomes.pdfRelatório de Estágio4,81 MBAdobe PDFView/Open

This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID