Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/85059

TitleA internet como vetor de socialização e/ou de manipulação no panorama das redes sociais
Author(s)Carneiro, Diogo de Gregório Oliveira
Advisor(s)Rabot, Jean-Martin
KeywordsCambridge analytica
Comunicação
Facebook
Internet
Redes Sociais
Communication
Social Media
Issue date27-Jul-2022
Abstract(s)Apesar do uso da internet estar padronizado e normalizado nas estruturas da sociedade, existem fatores sociais e demográficos que pecam na capacidade e eficiência de conseguir representá la em todos os locais do planeta. No séc. XXI, tanto nas sociedades desenvolvidas como até nalguns pontos das não desenvolvidas, a internet tornou-se numa ferramenta essencial de trabalho e de lazer. Através do uso da mesma é possível alargar horizontes nas mais diferenciadas áreas, usá-la em benefício de aprendizagem e socialização, mas também usá-la como uma ferramenta de manipulação e disseminação de informação que não é correta tanto científica como eticamente. A internet e as redes sociais têm vários lados, e como em tudo o que se vê, existe o lado bom e o lado mau; cabe a cada um medir o que entende e classifica por cada um desses lados e fazer um uso correto, responsável e moral da mesma. As sociedades desenvolveram-se em variados aspetos desde a era glaciar, até ao séc. XXI. Aos poucos, os mecanismos de socialização e as vertentes da comunicação foram-se alterando de século para século: desde o paleolítico até à modernidade. Houve inúmeras mudanças nas formas como nos relacionamos, agimos, comunicamos e vivemos. O desenvolvimento foi a palavra-chave, no que toca a permitir tais transformações, e com ele veio o advento da internet, e com ela o das redes sociais. Nas redes sociais mudamos a forma de estar no dia-a-dia, mudamos detalhes, e até mudamos crenças. Todas as redes sociais de sucesso foram criadas com base na adição, de maneira a que o utilizador se sinta bem enquanto navega por elas. As consequências posteriormente são visíveis quer a curto, médio e longo prazo: quer seja na manipulação por parte da própria rede perante o seu utilizador, quer seja por as visitar em “piloto automático”, em que de repente se está a navegar na rede social sem que se tenha a consciência de que realmente o está a fazer. Devido ao controlo quase invisível por parte do alogaritmo das redes sociais – com o fim de agradar o utilizador no conteúdo a que tem acesso – descobriu-se uma forte arma de manipulação: o utilizador vê o que as redes querem que veja e não o que quer. Foi precisamente através desta forma de pensar que surgiu a manipulação de eleições em alguns pontos do globo, pois empresas como a Cambridge Analytica trabalharam arduamente para juntar milhares de informações de cada perfil, com o fim de traçar um retrato psicológico, e desta forma fazer a manipulação necessária para quem contratasse a empresa.
Although the use of Internet is being standardized and normalized into society’s frame, there are social and demographic factors which fail to represent Internet all over the world. In the 21st century, both in developed and some poor societies, Internet has become in an essential working and hobby tool. Internet help people to widen horizons in the most different fields by using it in their own socializing and learning skills. However, Internet can also be used as a tool to manipulate, which is ethically and scientific incorrect. Internet and social medias have plenty of sides: the bad ones and the good ones. It is up to each one to measure what he or she understands and classifies by each of these sides and make a correct, responsible and moral use of the Internet. Since the Ice Age to the 21st century, societies have developed in varied ways. Step by step, the mechanisms of socialization and the aspects of communication have changed from century to century: from the Paleolithic to Modernity. There have been countless changes in the ways we relate, act, communicate, and do our lives. Development has been the key word when it comes to enabling such transformations, and with it came the advent of the Internet, and with it the social media. Social media can change our everyday life. It can change details and even beliefs. Every social media was made to addict its users, to make them feel good when scrolling down. Further there’s consequences in a short, medium, and long term: either by manipulating the user or by inventing him into the social media without him realize. Within the almost invisible social media algorithm there is a manipulation weapon to be found: the user sees what the social media allows him to see, but what he is interested in, the social media does not show. This way of thinking made it possible to manipulate some elections around the world. Companies like Cambrige Analytica worked to bring together thousands of information of each profile, with the goal of draw a psychological portrait and in that way make the necessary manipulation for the ones who contracted the company.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado em Sociologia, Cultura Lazer e Turismo
URIhttps://hdl.handle.net/1822/85059
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado
CECS - Dissertações de mestrado / Master dissertations

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Diogo de Gregorio Oliveira Carneiro.pdfDissertação de Mestrado892,97 kBAdobe PDFView/Open

This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID