Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/67628

TitleThe challenges of the maternal-childlike health portuguese in the starts of the 21st century
Author(s)Remoaldo, Paula Cristina Almeida
Issue date2005
PublisherUniversidad de Granada
JournalCuadernos Geográficos
CitationRemoaldo, Paula. (2005). The challenges of the maternal-childlike health portuguese in the starts of the 21st century. 553-561.
Abstract(s)[Excerto] Depois de Portugal ter revelado uma espectacular descida, principalmente desde os anos setenta do século XX, dos índices sanitários mais representativos do estado de saúde da sua população e do seu grau de desenvolvimento sócio-económico, com particular destaque para a Taxa de Mortalidade Infantil, novos desafios se equacionam nos primórdios do século XXI. Na realidade, actualmente Portugal apresenta já uma das mais baixas Taxas de Mortalidade Infantil e de Mortalidade Materna à escala mundial e possui capacidade para continuar a diminui-la, mas alguns obstáculos parecem dificultar esta descida. Por um lado, num período em que a mudança se perspectiva cada vez mais centrada no cidadão, é imperiosa a elevação do nível de instrução da população, visto em Saúde Materno-Infantil a variável «grau de instrução», sobretudo o da mãe, ser determinante. Por outro lado, num período de acesa crise económica, o espírito economicista tende a esquecer a componente humana. Os factores que lhe estão subjacentes, de acordo com os que têm capacidade para decidir politicamente, parecem ser objectivos e evidentes. O Estado despende cada vez mais em saúde e vive uma situação de quase «asfixia». Por seu turno o desperdício e a falta de organização num sistema de saúde com uma boa base jurídica têm que ser combatidos a todo o custo. O objectivo final, na opinião dos mesmos, é o aumento da qualidade da prestação do serviço. No entanto, as recentes mutações operadas no sistema de saúde português têm revelado que os objectivos economicistas não servem as necessidades das populações e a qualidade dos serviços não tem aumentado conforme se previa. A presente palestra analisa os ganhos operados no século XX em termos da Saúde Materno-Infantil e equaciona os principais desafios para o século XXI. [...]
TypeJournal editorial
URIhttps://hdl.handle.net/1822/67628
ISSN0210-5462
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:GEO - Artigos em revistas internacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ARTIGO.SAUDE.INFANTIL.2005.pdf10,56 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID