Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/59085

TitleA avaliação na educação pré-escolar: práticas de avaliação utilizadas pelos educadores de infância em estabelecimentos de ensino público e privado
Other titlesThe evaluation in pre-school education: evaluation practices used by childhood educators in public and private education schools
Author(s)Marinho, Suzana Alexandra Cruz Monteiro
Advisor(s)Pacheco, José Augusto
KeywordsEducação pré-escolar
Avaliação
Práticas
Pre-school education
Evaluation
Practices
Issue date2018
Abstract(s)A educação pré-escolar é a primeira etapa da educação básica e a importância atribuída às aprendizagens que as crianças realizam em contexto de jardim de infância leva-nos a exigir um certo grau de qualidade que só se consegue através da avaliação. Entendemos a avaliação como um processo indissociável e inerente ao ensino, como elemento essencial que retrata todo o percurso de aprendizagem das crianças, pelo que se torna pertinente compreender que práticas de avaliação das aprendizagens são utilizadas pelos educadores de infância em estabelecimentos de ensino público e privado? Para responder a esta questão de investigação, foi realizado um estudo de cariz qualitativo, com recurso à entrevista semiestruturada como técnica de recolha de dados, através da qual procurámos compreender as perspetivas dos educadores de infância face ao processo de avaliação na educação préescolar; saber que conhecimentos possuem os educadores sobre a avaliação; saber com que finalidade os educadores realizam a avaliação; e conhecer as práticas de avaliação utilizadas pelos educadores de infância do ensino público e privado (meios tradicionais ou alternativos). Foram entrevistadas seis educadoras, três a lecionar em instituições privadas de solidariedade social (IPSS) e três a lecionar em jardins de infância da rede pública. Os dados recolhidas nas entrevistas foram analisados com recurso à análise de conteúdo e a análise documental serviu de apoio à análise dos documentos legislativos. As principais conclusões do estudo revelam que os educadores quer da rede pública quer da rede privada, valorizam a avaliação, atribuindo-lhes uma função reguladora, um guia para a ação, evidenciando o seu carater formativo e qualitativo, avaliando, em primeira mão, as aprendizagens da criança e a sua prática pedagógica; concluiu-se também que os professores do 1ª ciclo não valorizam muito a avaliação que é feita no pré-escolar; situação semelhante acontece com os pais, pois nem todos valorizam ou demonstram interesse pela avaliação. Os educadores de ambas as redes revelaram também pouco conhecimento sobre os normativos legais que sustentam a avaliação neste nível de ensino, referindo em grande maioria as OCEPE como principal documento que sustenta as suas práticas, mas também as Metas de aprendizagem que ainda são utilizadas na rede privada; apesar de referirem a falta de formação em avaliação, consideram-se competentes para avaliar embora, por vezes, na rede privada as educadoras sintam algumas dúvidas e falta de tempo para avaliar. Todos os educadores afirmaram a sua autonomia ao nível da escolha dos modelos curriculares e dos instrumentos de avaliação, sendo os meios tradicionais os mais utilizados, como as grelhas de avaliação na rede pública e o PDI na rede privada, sustentado sempre a sua avaliação na observação; a criança surge como interveniente na sua própria avaliação, mas em segundo plano, sendo a educadora e a auxiliar referidas como principais intervenientes no processo.
Pre-school education is the first stage of basic education and the importance given to the learning that children perform in the context of kindergarten leads us to require a certain degree of quality that can only be achieved through evaluation. We understand evaluation as an inseparable and inherent process of teaching, as an essential element that portrays the entire learning path of children, so it is pertinent to understand what practices of evaluation of learning are used by educators of childhood in public and private schools? To answer this research question, a qualitative study was carried out, using semi-structured interview as a data collection technique, through which we tried to understand the perspectives of the educators of childhood in relation to the evaluation process in pre-school education; to know what knowledge educators have about evaluation; to understand what is the purpose of educators when they conduct evaluation; and to know the evaluation practices used by public and private school educators (the traditional or the alternative ways). Six educators were interviewed, three that teach in a private social solidarity institutions (IPSS) and three to teach in public kindergartens. The data collected in the interviews were analysed using content analysis and documentary analysis that was the support for the analysis of the legislative documents. The main conclusions of the study reveal that educators, both in the public and private networks, value evaluation by assigning them a regulatory function, a guide to action, highlighting their formative and qualitative character, evaluating firstly the learning and pedagogical practice; it was also concluded that the teachers of Primary School do not value much the evaluation that is made in preschool; and neither do parents, because they do not value or show interest in evaluation. The educators of both networks also revealed little knowledge about the legal norms that support the evaluation at this level of education, referring in large part to the OCEPE as the main document that supports their practices, but also the learning goals that are still used in the private network; although they refer to the lack of training in evaluation, they consider themselves competent to evaluate, although sometimes in the private network the educators feel some doubts and lack of time to evaluate. All educators affirmed their autonomy in the choice of curriculum models and evaluation tools, with traditional means being the most used, such as evaluation grids in the public network and the PDI in the private network, always supported their evaluation in the observation; the child appears as an intervener in its own evaluation, but just in second plan, being the educator and the education assistant referred as the main actors in the process.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado em Ciências da Educação (área de especialização em Desenvolvimento Curricular e Inovação Educativa)
URIhttp://hdl.handle.net/1822/59085
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Suzana Alexandra Cruz Monteiro Marinho.pdf2,66 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID