Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/57335

TitlePromover a saúde no novo paradigma
Author(s)Macedo, Ana Paula
Zamith-Cruz, Judite
Ribeiro, J. M.
KeywordsPromoção da Saúde
Políticas Públicas
Governação
Investigação Qualitativa
Issue dateNov-2018
PublisherUniversidade de Fortaleza
JournalRevista Brasileira em Promoção da Saúde
CitationMacedo, AP; Cruz, JM; Ribeiro, JM (2018). Promover a saúde no novo paradigma. Editorial. Rev Bras Promoç Saúde, 31(Supl): 1-2, nov., 2018 DOI: 10.5020/18061230.2018.8649
Abstract(s)[Excerto] O movimento internacional em torno da promoção da saúde teve início na década de 80 do século XX. A I Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde, em novembro de 1986, em Ottawa, Canadá, sinaliza o marco histórico para a mudança de paradigma. As discussões baseadas na Declaração de Alma-Ata para os Cuidados Primários em Saúde, no documento da OMS sobre Saúde Para Todos, assim como no debate ocorrido na Assembleia Mundial da Saúde originaram a ‘Carta de Ottawa’(1). De acordo com o documento: “Promoção da saúde é o nome dado ao processo de capacitação da comunidade para atuar na melhoria de sua qualidade de vida e saúde, incluindo uma maior participação no controle deste processo”(1). Promover a saúde é hoje uma obrigação nos diversos sistemas de saúde, articulada a ações que visam dar resposta à diversidade de necessidades sociais não dissociadas das potencialidades humanas. No novo paradigma de intervenção do setor da saúde a abordagem extravasa as considerações nacionais, apelando à participação de atores e de parcerias e à articulação entre a investigação e a prática clínica. Neste pacto, todos terão um papel a desempenhar na disseminação de práticas de referência – os cidadãos, os profissionais de saúde, os educadores, os trabalhadores dos vários setores, autarquias e o Governo(2). As mudanças que se avizinham nos próximos anos implicarão desafios para todos os setores da sociedade (desde a educação, ao meio ambiente, à economia, à qualidade dos serviços e às competências dos profissionais), em que as políticas assumirão um papel importante pela sua exigência na promoção de saúde(3). [...]
TypeJournal editorial
URIhttp://hdl.handle.net/1822/57335
DOI10.5020/18061230.2018.8649
ISSN1806-1222
e-ISSN1806-1230
Publisher versionhttp://periodicos.unifor.br/
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CIEd - Artigos em revistas científicas internacionais com arbitragem
ESE-CIE - Artigos em Revistas Internacionais / Papers in International Journals

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
textoeditorial-PB.pdf319,88 kBAdobe PDFView/Open

This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID