Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/57329

TitleA vulnerabilidade social e o fenômeno bullying: um estudo qualitativo acerca das crianças e adolescentes da grande Florianópolis, Brasil
Author(s)Zequinão, Marcela Almeida
Cardoso, Allana Alexandre
Pereira, Beatriz
Medeiros, Pâmela de
Cardoso, Fernando Luiz
KeywordsAdolescentes
Bullying
Crianças
Escola
Vulnerabilidade social
Issue date2017
CitationZequinão, M. A., Cardoso, A. A., Medeiros, P., Pereira, B. P.. Cardoso, F. L. (2017). A vulnerabilidade social e o fenômeno bullying: um estudo qualitativo acerca das crianças e adolescentes da grande Florianópolis, Brasil In W. Neto, E. Monteiro & B. Pereira (Org.), Promoção da Saúde, das Crianças e Adolescentes . Uma abordagem integral (pp73-88). Recife, Editora FASA..
Abstract(s)O fenômeno bullying é considerado um conjunto de atitudes agressivas, intencionais e repetitivas, que ocorrem sem motivação evidente. Esses comportamentos podem ser adotados por um ou mais alunos contra um ou outros, causando dor, angústia e terrível sofrimento às vítimas, gerando como consequência diversos bloqueios psicológicos. O bullying escolar é de extrema complexidade, pois se fazem necessárias investigações mais abrangentes e profundas a respeito não apenas da escola, mas também da família e da comunidade em que estes alunos estão inseridos. O presente estudo surge com o intuito de descrever o perfil dos alunos de alta vulnerabilidade social da Grande Florianópolis, a comunidade escolar, e a presença do bullying nas escolas através da percepção ética deste fenômeno. Trata-se de uma pesquisa de campo com delineamento longitudinal, de cunho qualitativo, realizado em duas escolas da Grande Florianópolis, SC, escolhidas por conveniência, para que os sujeitos da pesquisa atendessem ao perfil de alta vulnerabilidade social. As coletas ocorreram em duas etapas: 1ª Etapa: contato com a Secretaria de Assistência Social e Habitação do M2, obtendo assim, maiores informações sobre o bairro em que está situada E2, e com o auxílio das assistentes sociais, foi possível compreender melhor a situação da comunidade; 2ª Etapa: relatórios feitos pelos cinco pesquisadores envolvidos diretamente nas coletas de dados que neste estudo assumiram papéis de informantes do meio escolar. De acordo com a primeira etapa da percepção ética foi realizado o contato via e-mail com a Gerente da Proteção Social Básica (Assistente Social) responsável pela Secretaria de Assistência Social e Habitação do M2, para maiores informações sobre o bairro no qual está localizada a E2. As informações obtidas por meio da assistente social confirmam a situação de vulnerabilidade da comunidade estudada no M2. Em relação à 2ª categoria que focou aspectos da segurança em torno da acessibilidade, higiene e violência na escola, os pesquisadores concluíram que a estrutura física acabava por mascarar alguns problemas sérios encontrados nestas escolas, principalmente na E1. Este estudo indicou a existência de um elevado índice de vulnerabilidade social e violência contra e entre crianças e adolescentes de ambas as comunidades investigadas. A prevenção e combate ao bullying é, sobretudo, um desafio a todos os envolvidos na comunidade escolar, sejam dirigentes das escolas, equipe administrativa, corpo pedagógico, pais e alunos. Neste estudo, ressalta-se a importância de conhecer a comunidade em que a escola está inserida no momento em que se planejam projetos de prevenção e intervenção ao bullying.
TypeBook part
URIhttp://hdl.handle.net/1822/57329
ISBN978-85-708-4339-5
AccessOpen access
Appears in Collections:CIEC - Livros e Capítulos de Livros

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
A VULNERABILIDADE SOCIAL E O FENÔMENO bullying.pdf271,36 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID