Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/55374

TítuloGender diversity on the board of directors and its impact on firm value and corporate governance: european evidence
Outro(s) título(s)A diversidade de género no conselho de administração e o seu Impacto no valor da empresa: evidência europeia
Autor(es)Freitas, Cláudio Roberto Marinho
Orientador(es)Loureiro, Gilberto
Palavras-chaveBoard of directors
Gender diversity
Corporate governance
Board effectiveness
Firm value
Conselho de administração
Diversidade de género
Governação corporativa
Eficácia do conselho de administração
Valor da empresa
Data2018
Resumo(s)Throughout all Europe, numerous countries have been imposing mandatory quotas regarding the presence of women on the board of directors. This regulation seeks to increase board diversity with the argument that imposed female quotas may help enhance corporate governance and firms’ financial performance. Using a sample of 1092 European firms, from 2005 to 2016, I examine the impact of board gender diversity on firm value and some aspects of corporate governance. In most parts of my dissertation, I follow the approach of Adams and Ferreira (2009). Their insight allowed to formulate 5 hypotheses based on the attendance of the directors, the linkage between directors’ (and CEO’s) compensation and firm’s stock performance, the sensitivity of CEO turnover and, ultimately, the effect of gender diversity on firm value. The literature shows a variety of results regarding this “female effect” on corporate performance. In this study, the results support the hypothesis that women tend to improve the monitoring quality of the board in aspects related to compensation, attendance and CEO Turnover. Overall, the percentage of female in the board is negatively related with firm value. Nevertheless, when controlled for the level of corporate governance and fixed effects, this study demonstrates that women tend to impact positively the value of well-governed firms but end up harming poorly governed firms, maybe due to the constraints produced by entrenched directors. These outcomes support the argument that mandatory quotas serve primarily the purpose of increasing gender diversity and equality of opportunities. However, board female quotas also have some positive consequences for corporate governance and performance in firms with strong prior governance standards.
Por toda a Europa, muitos países têm imposto quotas obrigatórias em relação à presença de mulheres nos conselhos de administração. Esta regulação procura aumentar a diversidade do conselho, argumentando que a imposição destas quotas pode ajudar a aumentar a governança corporativa e o desempenho financeiro da empresa. Utilizando uma amostra de 1092 empresas Europeias, de 2005 a 2016, procuro estudar o impacto da diversidade de género no valor da empresa e em alguns aspetos de governança corporativa. Em grande parte da minha dissertação, segui a abordagem de Adams e Ferreira (2009). A sua visão permitiu a formulação de 5 hipóteses baseadas na presença às reuniões por parte dos diretores, na ligação da compensação dos diretores (e do CEO) ao desempenho das ações, na sensibilidade da mudança de CEO e, por fim, no efeito da diversidade de género no valor da empresa. A literatura sugere resultados variados em relação a este “efeito mulher” no valor da empresa. Os resultados obtidos suportam a hipótese de que as mulheres tendem a desempenhar um papel mais rigoroso, afetando positivamente a eficácia do conselho em termos de remuneração, de presença nas reuniões e na mudança de CEO. Globalmente, a percentagem de mulheres influencia negativamente o valor da empresa. Não obstante, quando controlado para o nível de governança corporativa e para efeitos fixos, este estudo revela que as mulheres tendem a ter um impacto positivo no valor de empresas bem governadas mas que acabam por ter um impacto negativo em empresas mal governadas, talvez devido às restrições que sofrem por parte dos diretores entrincheirados. Estas conclusões suportam o argumento que as quotas obrigatórias servem primariamente o propósito de aumentar a diversidade de género e a igualdade de oportunidades. Mesmo assim, estas legislações têm algumas consequências positivas na governança corporativa e na performance das empresas que tenham, anteriormente, bons princípios de governança.
TipomasterThesis
DescriçãoDissertação de mestrado em Finanças
URIhttp://hdl.handle.net/1822/55374
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:BUM - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertac_a_o+Claudio+Freitas.pdf2,62 MBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis