Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/50817

TitleOs sons da Lusofonia: contextos multiculturais do serviço público de rádio em Portugal e no Brasil
Author(s)Alves, Ana Teresa Pintassilgo da Costa
Advisor(s)Oliveira, Madalena
Adami, António
KeywordsServiço público de rádio
Lusofonia
Cultura lusófona
Diáspora
Som
Public service broadcasting
Lusophony
Lusophone culture
Sound
Issue date22-Nov-2017
Abstract(s)A Lusofonia engloba o espaço onde a língua portuguesa é falada e entendida como a língua mãe da comunicação entre as pessoas. Trata-se de uma paisagem linguística que contempla sonoridades tão distintas quanto a diversidade dos países que compõem o espaço lusófono. A pluralidade de sotaques e de géneros musicais, oriundos deste espaço interligado por um oceano em tempos navegado, reflete uma panóplia de possibilidades sonoras na tentativa de sintetizar uma mediapaisagem sonora da Lusofonia. Este espaço de constrastes, tanto do ouvido como da representação dos países de expressão em língua portuguesa nas instâncias lusófonas, é objeto de estudo do presente trabalho. E porque o território da Lusofonia é o habitado por todos os falantes de Português, estendemos a nossa análise ao contexto das várias diásporas da língua portuguesa espalhadas pelo mundo, além dos oito países de língua oficial portuguesa que desde a expansão colonial a adotaram como sua, sonorizando-a de forma particular na sequência do cruzamento com as línguas locais. Sendo a rádio o meio mais dotado de som, sintetizaremos a sonoridade da Lusofonia em duas frentes: a rádio pública, porque é no serviço público que encontramos, pelo menos em teoria, os princípios fundamentais da pluralidade e da diversidade nos média, conceitos chave para o tratamento da cultura lusófona; e os programas de rádio produzidos para a diáspora, onde se consolidam as representações sonoras do distanciamento e a afirmação de um sentimento de pertença à nação de origem que se pode traduzir em sotaques e produtos culturais musicais. A polifonia lusófona também se afirma através dos vários géneros musicais que nasceram no espaço da Lusofonia – sendo alguns destes géneros produto do cruzamento de influências musicais transatlânticas. Neste caso, o oceano uniou o que sempre separou; mas será que este oceano, em particular o que se estende entre Portugal e o Brasil, é navegável através de ondas hertzianas? O Brasil é o maior território de falantes de língua portuguesa e o país a quem muitos julgam caber a responsabilidade de assumir o estandarde da Lusofonia. Portugal foi, historicamente, o catalisador da empreitada marítima que tornou o Português a língua oficial de lugares tão distantes uns dos outros, como Rio Grande do Sul e Timor- Leste. E existirá entre estes dois países um fluxo mediático mais intenso, reflexo de um interesse mais demorado um pelo outro, ou estaremos perante uma típica relação conjugal em que um parece estar mais apaixonado do que o outro? Para responder a estas questões de investigação, analisaremos com profundidade alguns estudos de caso, nomeadamente programas na rádio pública sobre cultura lusófona em Portugal e no Brasil e programas de rádios produzidos para a diáspora portuguesa no Brasil, de forma a registar um mapeamento sonoro das representações da cultura lusófona na rádio em ambos os países.
Lusophony envolves the space where Portuguese language is spoken and understood as the mother tongue for people to communicate. It stands as a linguistic landscape that that overviews sounds as different as the countries that are part of it. Plurality of accents and musical genres rooted to this space by the ocean, reflects a wide range of sound possibilities that can represent Lusophony’s sound mediascape. A place of contrasts, from the hearing to the countries that are represented there; this is our object of study. And because the lusophone territory is inhabited by all Portuguese speakers, we will include in our analysis the contexto of Portuguese-speaking diásporas, as well as the 8 countries that have adopted the language throughout the colonization process, even if it has been crossshaped by local languages. Radio is the real sound médium, so we will resume our analysis in two settings: public radio, because in public service broadcasting we find (theoretically at least) plurality and diversity as founding principles, essential to deal with the Lusophone culture; and radio shows aimed at the diaspora, where distance and a feeling of belief can be translated into accents and music products. The Lusophony is poliphonic and it also stands out through the diferente music genres that where born in this space. Some of these genres are even a product of transatlantic musical influences. The ocean has united what it has always separated; but is it possible to sail this ocean (especially between Portugal and Brazil) over heartzian waves? Brazil is the largest Portuguese-speaking territory and this is why some thinkers believe that it should take on the responsability for the lusophone territory. Portugal has spread its language over a huge territory, from Rio Grande do Sul, in Brazil, to East Timor. Therefore, is there greater mediatic flow between the two countries, as they may be more interested in one another, or are we looking at a typical couple where one loves the other more? In order to answer these research questions, we will analyse deeply a few case studies: public radio shows on the Lusophone culture in Portugal and Brazil radio shows produced for the Portuguese diaspora in Brasil. By doing so, we will be able to record a sound map of how Lusophony is represented in radio in both countries.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de Doutoramento em Ciências da Comunicação
URIhttp://hdl.handle.net/1822/50817
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
CECS - Teses de doutoramento / PhD theses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ana Teresa Pintassilgo da Costa Alves.pdf5,28 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID