Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/49513

TitleO impacto das determinantes económicas e sociais na percentagem de voto obtida pelos partidos populistas radicais
Other titlesThe impact of social and economic determinants in radical populist party vote
Author(s)Ivars, José Luís Figueira de Sousa Ferreira
Advisor(s)Aguiar-Conraria, Luís
KeywordsPopulismo radical
Voto
Paradoxo
União Europeia
Crise financeira
Dados em painel
Radical populism
Vote
Paradox
European Union
Financial crisis
Panel data
Issue date2017
Abstract(s)O populismo radical é sucessivamente apontado pelos versados como um fenómeno cada vez mais relevante no contexto socioeconómico internacional. Um partido populista radical considera que a sociedade está dividida entre dois grupos antitéticos e homogéneos: o povo justo e puro e a elite corrupta que argumenta que a política deve ser a expressão da vontade geral da população, ou do povo. A crise financeira de 2008, acompanhada por políticas de austeridade que acentuaram as fracas taxas de crescimento do PIB e crescente taxa de desemprego, bem como um influxo de refugiados provenientes do Médio Oriente, trouxe para a ribalta sentimentos antiimigração e desconfiança perante a capacidade de a União Europeia lidar com estes problemas, o que fez aumentar o voto em partidos populistas um pouco por toda a União Europeia. Para investigar este fenómeno, foi implementado um modelo econométrico que envolve a realização de três regressões distintas por dados em painel com efeitos fixos, para cada tipo de populismo e para o populismo em geral. Após a aplicação deste modelo, constatamos que existe uma forte correlação entre as condições macroeconómicas adversas e o voto em partidos populistas radicais. No entanto, variáveis como a corrupção e a taxa de homicídios podem também explicar o populismo, enquanto a imigração e a própria crise financeira não são significativas.
Radical populism is often considered by researchers as an important phenomenon in the international social and economic panorama. A radical populist party envisages society as if it were divided between two distinct yet homogeneous groups, namely the fair and just people as opposed to the corrupt elite which argues that politics should be the expression of the general will of said people. The financial crisis of 2008 followed by austerity measures that increased the already low GDP growth rates and the already high unemployment rate, as well as an influx of refugees hailing from the Middle East, brought forth anti-immigration feelings and distrust in the European Union's ability to deal with these issues, which increased populist party vote throughout the E.U. In order to investigate the matter further, we implemented an econometric model along with three separate regressions made using panel data fixed effects, one for each type of populism and for populism in general. After applying the model to our data, we found that there is a strong correlation between adverse macroeconomic conditions and Populist Party vote. However, issues such as corruption and violent crime can also explain the populist vote, while immigration and the financial crisis are not significant.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado em Economia
URIhttp://hdl.handle.net/1822/49513
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado
EEG - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
José Luís Figueira de Sousa Ferreira Ivars.pdfDissertação2,87 MBAdobe PDFView/Open
Errata.pdfErrata345,98 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID