Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/45899

TitleProdução e práticas metalúrgicas da Idade do Bronze no Noroeste português: o caso do Pego, Braga
Author(s)Sampaio, Hugo Aluai
Bettencourt, Ana M. S.
KeywordsNoroeste português
Bronze Final
Pego
Produção metalúrgica de bronze
Práticas metalúrgicas
Lugares de acção
Portuguese northwest
Late Bronze Age
Bronze metallurgic production
Metallurgic practices
Places of action
Issue date2011
PublisherCentro de Investigação Transdisciplinar «Cultura, Espaço e Memória» (CITCEM)
CitationSAMPAIO, H.A.; BETTENCOURT, A.M.S. (2011). Produção e práticas metalúrgicas da Idade do Bronze no Noroeste português. O caso do Pego, Braga, in C. Martins, A.M. S. Bettencourt, J.I.F.P. Martins & J. Carvalho (eds.), Povoamento e Exploração de Recursos Mineiros na Europa Atlântica Ocidental. Braga: CITCEM/UM, APEQ, 391-407.
Abstract(s)O presente artigo visa dar a conhecer as evidências materiais associadas ao processo de produção metalúrgica enquadráveis na Idade do Bronze Final do Noroeste português identificadas no sítio do Pego, concelho e distrito de Braga. Para isso, parte-se da análise dos dados recolhidos durante os trabalhos de escavação arqueológica daquele local, decorridos entre Outubro de 2003 e Junho de 2010. Logo à partida, observam-se diferentes tecnologias produtivas, inferidas a partir de moldes bivalves em cerâmica e do processo da cera perdida. Atendendo às tipologias identificadas nos restos dos moldes atesta-se o fabrico de machados de talão com uma argola e de pontas de lança de alvado curto, situando a produção numa fase intermédia de ocupação do local, quiçá entre os finais do XII e os finais do X séculos AC. Destacando a proximidade do local a possíveis zonas de extracção de estanho de aluvião, pela fácil deslocação que os vales proporcionariam, vincamos as escassas evidências associadas a práticas metalúrgicas face à área já escavada do Pego. Assim, equacionamos a hipótese de aqui ter existido uma produção local pouco expressiva. Tal parece estar de acordo com outros contextos da Idade do Bronze Final conhecidos no Noroeste, tais como a Santinha (Amares), S. Julião (Vila Verde), Falperra (Braga), Corgo (Vila do Conde) e Castelo de Matos (Baião). Com base na parca representatividade de objectos metálicos encontrados no Pego, conjecturamos a deslocação de tais objectos, que acreditamos deterem um valor excepcional, para outros contextos, no âmbito de uma rede de lugares interconectados com significados distintos mas complementares. A inexistência de eventuais vestígios metálicos nos moldes do Pego verificada pela sua análise de composição química, efectuada no Instituto de Tecnologia Nuclear, em Lisboa, não permitiu determinar se a metalurgia do bronze aqui praticada teria sido de composição binária, tal como a restantes peças do Bronze Final do Noroeste (Bettencourt 1998, 2001), o que a afastaria das suas congéneres da fachada atlântica da Europa ocidental.
This article aims to acknowledge the metallurgic production processes datable of the Late Bronze Age of the Portuguese northwest at Pego’s site, county and district of Braga. Thereunto, the data recovered during the archaeological excavation works of that local, conducted between October 2003 and June 2010, was analyzed. As a result, different production technologies were identified, inferred by bivalve clay moulds and lost-wax process evidences. Considering the typologies identified from the rest of the moulds, we recognize the production of palstave axes with one ring and socketed spearheads, situating the production in an intermediate phase of the site occupation, perhaps between the end of the XII and the end of X centuries BC. Taking into account the excavated area and highlighting Pego’s vicinity from probable alluvial tin areas, given the easy dislocation that the valleys provided, we stress de scarce evidences associated with metallurgical practices. Therefore, we equate the hypothesis of a not significant local metallic production. This seems to correspond with other Late Bronze Age contexts, known in the northwest, such as Santinha (Amares), S. Julião (Vila Verde), Falperra (Braga), Corgo (Vila do Conde) and Castelo de Matos (Baião), where some metallurgic production remains were also exhumed. Based on Pego’s sparse representation of metallic objects, we conjecture the displacement of these objects, probably imbued of exceptional value, to other places than this, within a net of complementary interconnected places with different significations. The absence of metal traces in the Pego’s molds proved by their chemical composition analysis, done at the Instituto de Tecnologia Nuclear of Lisbon, didn’t determinate whether the bronze metallurgy here practiced presented binary compositions, like other pieces of the Late Bronze Age Northwest (Bettencourt 1998, 2001), which would depart it from their counterparts of the Atlantic coast of Western Europe.
TypeBook part
URIhttp://hdl.handle.net/1822/45899
ISBN978-989-97558-5-7
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:DH - Capítulos de Livros/Book Chapters

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
H.A._SAMPAIO_and_A.M.S._BETTENCOURT_2011.pdf1,94 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID