Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/45673

TítuloInteresse patrimonial dos aspectos geológicos e geomorfológicos da região de Aveleda-Baçal (Parque Natural de Montesinho, NE Portugal)
Outros títulosGeological and geomorphological heritage of Avelada-Baçal area (Montesinho Natural Park, NE Portugal)
AutorMeireles, Carlos
Pereira, D. I.
Alves, M. I. Caetano
Pereira, Paulo Jorge Silva
Palavras-chaveNordeste de Portugal
Montesinho
Controlo litológico
Controlo tectónico
Património geológico
Geomorfologia
Geossítios
NE Portugal
Lithological control
Tectonic control
Geological heritage
Geomorphology
Geosites
Data2002
EditoraInstituto Geológico e Mineiro
CitaçãoMeireles C., Pereira D.I., Alves M.I.C. & Pereira P. (2002). Interesse patrimonial dos aspectos geológicos e geomorfológicos da região de Aveleda-Baçal (Parque Natural de Montesinho, NE Portugal). Comunicações do Instituto Geológico e Mineiro 89, 225-238.
ResumoO Parque Natural de Montesinho (PNM) fica situado no Nordeste de Portugal, abrange a parte norte dos concelhos de Vinhais e Bragança e engloba as serras da Coroa e Montesinho. Geologicamente o PNM situa-se nas unidades autóctones da Zona Centro Ibérica e nas unidades parautóctones e alóctones da Zona Galiza-Trás-os-Montes. Nesta primeira abordagem acerca do Património Geológico do PNM, faz-se a analise da região situada entre Aveleda e Baçal, cuja clareza das formas de relevo e a definição das relações com a geologia e com a tectónica, no seio de uma área protegida, são razões para a sua valorização. Assim, no presente trabalho descrevem-se e interpretam-se os aspectos geomorfológicos desta região. A partir de locais de observação estabelecidos é possível constatar que a região de Aveleda-Baçal corresponde ao bloco abatido de um graben controlado por falhas de orientação NNE-SSW, com destaque para a falha de Portelo que origina uma escarpa pelo soerguimento do bloco ocidental e abatimento a leste. No bloco ocidental deste acidente tectónico estão representados restos de uma superfície de aplanamento a cotas superiores a 900 metros (superfície de Espinhosela) e para norte a serra de Montesinho (1481 m), um bloco mais elevado de topos relativamente aplanados.
Tipoarticle
URIhttp://hdl.handle.net/1822/45673
Arbitragem científicayes
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:CCT - Artigos (Papers)/Papers

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
2002_Com_IGM_CMeireles.pdf1,32 MBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis