Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/44696

TitleCrises Bancárias e o contexto económico: em que medida se influenciam?
Author(s)Correia, Maria Isabel Matos
Advisor(s)Costa, Carlos Alberto Arriaga Taboleiros
KeywordsCrises bancárias
Ambiente macroeconómico
Sistema bancário
Modelos logit
Banking crises
Macroeconomic environment
Banking system
Logit models
Issue date2016
Abstract(s)Ao longo da história económica, sobretudo nas últimas décadas, a ocorrência de crises bancárias em todo o mundo, tem provocado o debate sobre as suas causas e consequências. De uma forma geral as crises bancárias estão associadas a problemas no sistema bancário, ao aumento da incerteza no mercado, a perturbações graves na intermediação financeira, ao clima de instabilidade financeira ou a períodos em que as economias revelam fraco desempenho económico. O presente trabalho tem como objetivo mitigar este prepósito e analisar teoricamente e empiricamente a relação das crises bancárias sobretudo com o contexto macroeconómico, de um país. Nesse sentido, procuramos analisar esta relação através da influência de variáveis específicas à macroeconomia e ao sistema bancário no desencadeamento de uma crise bancária. Para a sua análise, recorremos a uma metodologia que consiste em estimar um modelo de probabilidade de ocorrência de uma crise bancária, através dos modelos de resposta binária. Numa amostra de 16 países, para um espaço temporal de 10 anos (2000-2014), este estudo permitiu concluir que um ambiente macroeconómico fraco, aumenta a probabilidade de ocorrência de crises bancárias, especialmente quando o crescimento económico é baixo e as taxas de juro elevadas. Relativamente às variáveis especificas ao sistema bancário, verificou-se que a liquidez de um sistema bancário é essencial para o seu bom funcionamento e fundamental no caso de ocorrência de uma crise bancária.
Throughout the history of economics, especially in recent decades, the occurrence of banking crises around the world has caused a debate over its causes and consequences. On the whole, banking crises are associated with serious problems in the banking system, an increase in market uncertainty, serious disturbances in financial intermediation and the offer of external funding, with the climate of financial instability or with periods in which the economies reveal poor economic performance. The purpose of the present work is to mitigate this intent and analyze theoretically and empirically the relationship between banking crises and the macroeconomic context of a country. In that sense, we sought to analyze this relationship through the influence of variables specific to macroeconomics and the banking system in triggering a banking crisis. For this analysis, we used a methodology that estimates a model on the probability of a banking crisis through binary response models. Using a study on 16 countries over a period of 10 years (2000-2014), it was concluded that a poor macroeconomic environment increases the probability of banking crises, especially when the economic growth is low and the interest rates are high. Concerning the banking system’s specific variables, it was found that the liquidity of a banking system is essential for its proper functioning and a key aspect in the event of a banking crisis.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado em Economia Monetária, Bancária e Financeira
URIhttp://hdl.handle.net/1822/44696
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado
EEG - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Maria Isabel Matos Correia.pdf2,43 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID