Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/43129

TitleResponsabilidade social das organizações, a débil articulação entre as organizações e a sociedade: um estudo de caso
Other titlesCorporate social responsibility, the loosely coupled between organizations and society: case study
Author(s)Correia, Adelina
Advisor(s)Matos, Alice Delerue
Domingues, Ivo
KeywordsRSO
Dimensões de RSO
Isomorfismo
Legitimidade
Comunicação organizacional
Débil articulação e sustentabilidade
CSR
CSR dimensions
Isomorphism
Legitimacy
Lousely coupled and sustainability
Issue date14-Jul-2016
Abstract(s)A Responsabilidade Social das Organizações (RSO) convida as organizações a integrarem critérios económicos, sociais, ambientais, legais, éticos e filantrópicos nos processos de tomada de decisão. É um conceito academicamente muito lavrado e bastante apropriado pelos contextos gestionários. Todavia, permanece ambíguo e com um escopo demasiado amplo, o que pode justificar potenciais viés. A RSO é um conceito multidimensional, de apropriação contextual, que contribui para a sustentabilidade organizacional pelos benefícios que promove: melhoria das relações entre as partes interessadas (PI), gestão de risco, criação de valor e capital reputacional. Ativos intangíveis que contribuem para a legitimidade organizacional, garante da renovação da licença para operar e da sustentabilidade organizacional. Tais benefícios podem estimular uma apropriação mais instrumental do que estratégica da RSO. A investigação sustentou-se num estudo de caso (EC) e decorreu numa unidade fabril que integra um grupo industrial multinacional, cujo âmbito é a produção de equipamentos tecnológicos para o setor automóvel. Na presença de um conceito ambíguo como o da RSO, refletiu-se sobre o grau de articulação entre os objetivos e as práticas de RSO. Tendo como unidades de observação essas práticas, explicou-se a RSO como mediadora da relação entre organizações e sociedade (na perspetiva gestionária) e a adoção da RSO como fator de reputação, legitimidade (na perspetiva institucionalista) e sustentabilidade organizacional. Os dados empíricos são analisados num quadro teórico composto pelos conceitos de isomorfismo organizacional, legitimidade, hipocrisia organizacional, comunicação organizacional e débil articulação. Uma vez que a RSO contribui para a sustentabilidade organizacional, este estudo aponta para a necessidade da(s) organização(ões) promover(em) uma integração articulada de critérios económicos, sociais e ambientais, equilibrando as necessidades atuais com as futuras. Mais do que implementar um conjunto de práticas avulsas, é preciso implementar a RSO como um princípio de gestão sistémico, alinhado com os objetivos estratégicos da organização.
Corporate Social Responsibility (CSR) invites organisations to integrate economic, social, environmental, legal, ethical and philanthropic criteria in decision-making processes. The concept is academically well acknowledged and has been widely adopted in management contexts. Never the less, it remains ambiguous and too wide in scope, which can account potential bias. CSR is a multidimensional concept, dependent on context appropriation, that contributes to organisational sustainability through the benefits it promotes: improvement of relationships amongst stakeholders, risk management, creation of added value and reputation. These intangible assets contribute to organisational legitimacy that warrants the renewal of operating permission and corporate sustainability. Those benefits can stimulate a CSR appropriation that is more instrumental than strategy oriented. The investigation that follows is sustained by a case study and took place in a factory unit that is part of an industrial group on a multinational level that produces technological equipment to the automobile sector. In the presence of an ambiguous concept as CSR, it was a purpose of this study to reflect on the degree of the link between its objectives and practices. Having as observation units the practices in this domain, CSR was explained as mediator of the relation between organisations and society (in the management perspective) and CSR adoption as a factor of reputation, legitimacy (in the institutional perspective) and organisational sustainability. The empirical data is analysed within a theoretic framework composed by the concepts of organisational isomorphism, legitimacy, organised hypocrisy, organisational communication and loosely coupled. Considering that CSR contributes to organisational sustainability, this study points in the direction of the need for organisations to promote an articulated integration of economic, social and environmental criteria, balancing current and future needs. More than implementing a detached set of practices it is necessary to implement CSR as principle of systemic management in line with strategic goals.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de Doutoramento em Sociologia.
URIhttp://hdl.handle.net/1822/43129
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
CECS - Teses de doutoramento / PhD theses
DS - Teses de doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Adelina Maria da Mota Correia.pdf2,62 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID