Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/42142

TitleEscolha de serviços de saúde urgentes: um estudo experimental
Other titlesChoice of emergency health services: an experimental study
Author(s)Fernandes, Tânia Sofia Rodrigues
Advisor(s)Botelho, Anabela
Pinto, Lígia
KeywordsUrgência
Emergência
Cuidados de saúde primários
Triagem de Manchester
Escolha de cuidados de saúde
Economia experimental
Emergency
Primary care
Manchester triage
Choice of ealth care
Experimental economics
Issue date2016
Abstract(s)O Serviço Nacional de Saúde é extremamente importante na resposta aos problemas de saúde da população em geral nomeadamente no que diz respeito a cuidados de saúde não programados. Dentro destes, cada indivíduo pode optar por recorrer, por exemplo, a cuidados de saúde primários (CSP) ou serviços de urgência (SU) hospitalar, mediante a necessidade e gravidade do seu estado de saúde. Contudo, o que se tem verificado, e é suportado por vários estudos, é que há uma procura inadequada dos serviços de urgência, uma vez que muitos pacientes se dirigem a este serviço em condições de saúde não urgentes/emergentes. No caso de Portugal há uma forte afluência a estes serviços principalmente no período de gripes. Uma análise das consultas realizadas nos SU mostra que, em 2014, cerca de 41% dos atendimentos correspondiam a uma procura inadequada, os quais deveriam e poderiam ser resolvidos noutro serviço de saúde, nomeadamente nos CSP. A maior preocupação é que este “mau uso” acarreta custos e diminui a eficácia da resposta àqueles que mais precisam. Surge assim a necessidade de perceber quais os motivos que levam estes doentes a dirigirem-se aos serviços de urgência quando não necessitam, com o objetivo de desenhar e implementar medidas que promovam uma melhor utilização eficiente dos mesmos. Neste projeto propõe-se testar duas hipóteses explicativas: (1) uma perceção incorreta da gravidade da condição de saúde pelo paciente; (2) uma incorreta avaliação dos cuidados de saúde prestados por cada tipo de serviço de saúde. Para efeitos de recolha dos dados empíricos, a metodologia usada é a da economia experimental. Analisando as escolhas dos serviços de saúde para os perfis não urgentes verifica-se que estas foram diversas. Verifica-se uma preferência pelos SU no caso do Perfil infeção urinária, associada a uma sobrestimação do grau de gravidade do mesmo. Após informação correta do grau de gravidade desses perfis, apenas 50% das escolhas para o SU alteraram o serviço de saúde selecionado. Quanto à probabilidade de corretamente classificarem o grau de gravidade dos perfis, verifica-se que esta é explicada, por fatores sociodemográficos, uso dos cuidados de saúde primários, estado de saúde, doenças permanentes e experiência com os cuidados de saúde.
The National Health Service is extremely important in addressing the health problems of the population in general and in particular with regard to unscheduled health care. Nonscheduled health care patients have several options including the choice to use primary care services or hospital emergency departments, depending on the urgency and severity of the condition. However, several studies have shown a significant inadequate demand for emergency services, since many patients demand this service with health conditions that wouldn’t need this kind of care. In Portugal there is a strong turnout in these services mainly during the flu season. Moreover, an analysis of the queries which used the emergency room through the Manchester triage shows that in 2014 about 41% of the cases corresponded to green, blue or white bracelets. According to the information from care providers, these cases could and should be taken care in another health service, particularly in the primary care. The "misuse" of the hospital emergency rooms’ service is costly and decreases the efficiency of the services to respond to those most in need. This raises the need to understand the motives that lead these patients to address themselves to emergency services when they have no need for this type of care, in order to design and implement measures that promote the efficient use of the services. This project proposes to test two alternative hypothesis: (1) an incorrect perception of the seriousness of the health condition of the patient and (2) an incorrect assessment of the health care provided by each type of health service. Analysing the choices of health services for non-urgent profiles, there is a preference for emergency services in the case of urinary infection profile, associated to an overestimation of the degree of severity of the same. However, after information on the degree of severity of these profiles, from those that had chosen the emergency room, only 50% changed the health service choice. To understand the determinants of a correct evaluation of the severity of the health conditions, a probit model was estimated. Results show that socio-demographic characteristics and variables related to experience with the services and the profiles are important determinants.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado em Economia
URIhttp://hdl.handle.net/1822/42142
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado
NIMA - Dissertações de Mestrado/Master Theses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tânia Sofia Rodrigues Fernandes.pdf4,19 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID