Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/40781

TítuloComportamentos de risco na juventude: Uma perspetiva de género e interseccional
Autor(es)Leitão, Catarina Ferreira Cardoso
Orientador(es)Nogueira, Conceição
Marques, António Manuel
Data18-Jan-2016
Resumo(s)Esta investigação teve como objetivo principal aprofundar o conhecimento acerca da incursão em comportamentos de risco por parte dos jovens de ambos os sexos, particularmente nos consumos de álcool e de cannabis, e na condução rodoviária. Os dados epidemiológicos nacionais e internacionais sugerem que os indivíduos do sexo masculino tenderão a envolver-se mais frequentemente nos mesmos do que os do sexo feminino, levando-nos a questionar a possibilidade de estes comportamentos refletirem e participarem na (re)construção do género, em ligação com um modelo de masculinidade tradicional. Tendo em conta que o género interage com outras dimensões socioidentitárias, considerámos pertinente incluir a classe social e o nível de ensino frequentado nas nossas reflexões e análises, pelo que o enquadramento teórico e metodológico foi orientado pela perspetiva da interseccionalidade. Desenvolvemos três estudos quantitativos, cuja amostra inicial foi constituída por 1614 participantes de ambos os sexos, maioritariamente com idades entre os 18 e os 30 anos. Os dois primeiros estudos centraram-se na avaliação das propriedades psicométricas de dois instrumentos utilizados no último estudo: uma versão reduzida do Conformity to Masculine Norms Inventory (CMNI; Mahalik, Locke, et al., 2003), tendose obtido uma versão final constituída por 14 itens e uma pontuação total, passível de ser aplicada a homens e a mulheres, com algumas salvaguardas; e, uma escala desenvolvida com o propósito de avaliar as transgressões na condução, tendo-se chegado a uma versão constituída por 19 itens e uma pontuação total. O terceiro estudo teve como objetivo a avaliação de relações entre as dimensões socio-identitárias sexo, classe social, grau de escolaridade, conformidade com as normas masculinas e três comportamentos – consumo de álcool, consumo de cannabis e transgressões na condução. Os resultados demonstraram que os participantes do sexo masculino e da classe favorecida reportaram maior incursão nestes comportamentos do que os do sexo feminino e da classe desfavorecida, e que o grau de conformidade com as normas masculinas tradicionais explicava parte destas diferenças. Tal reforça a necessidade de contemplar uma perspetiva de género e os contextos socioeconómicos e culturais na investigação/intervenção no âmbito das práticas de risco para a saúde.
The main objective of the present research was to provide more insight pertaining to engagement in risk behavior by young people of both sexes, specifically in the consumption of alcohol and cannabis, as well as in reckless driving. Both national and international epidemiological data suggest that individuals of the male sex are more likely than the ones of the female sex to be involved in said behaviors, which leads us to question whether or not these behaviors reflect and participate in the (re)construction of gender, in connection with a model of traditional masculinity. Considering that gender interacts with other dimensions of social identity, we deemed it appropriate to include both social class and academic degree in our considerations and analyses, therefore employing a theoretical and methodological framework guided by an intersectional perspective. We developed three quantitative studies with an initial sample of 1614 participants of both sexes, the majority aged between 18 and 30 years. The first two of these studies focused on assessing the psychometric properties of two instruments employed in the last study: a short version of Conformity to Masculine Norms Inventory (CMNI; Mahalik et al., 2003), yielding a final scale made of 14 items and a total score, applicable to both men and women, with a few conditions; and a scale created to evaluate driving violations, yielding 19 items and a total score. The third study aimed to assess the connections between the social identity dimensions of sex, social class, academic degree, conformity with masculine norms and three behaviors - consumption of alcohol, consumption of cannabis and driving violations. The results show that participants of the male sex and in higher social class engaged more frequently in said behaviors than individuals of the female sex and lower social class, and they also indicate that the degree of conformity with traditional masculine norms partially explains these discrepancies. Such findings reinforce the need to account for gender, as well as socio-economic and cultural backgrounds, when conducting research/intervention regarding risk behavior.
TipodoctoralThesis
DescriçãoTese de Doutoramento em Psicologia - Especialidade em Psicologia Social
URIhttp://hdl.handle.net/1822/40781
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:CIPsi - Teses de Doutoramento
BUM - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Catarina Ferreira Cardoso Leitão.pdf4,51 MBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis