Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/36749

TitleO Acordo ortográfico da Língua Portuguesa e a percepção de ameaça à identidade portuguesa
Author(s)Carvalho, Michelly Santos de
Cabecinhas, Rosa
KeywordsAcordo ortográfico
Representações sociais
Identidade social
Língua portuguesa
Orthographic agreement
Social representations
Social identity
Portuguese language
Issue date2011
PublisherLUSOCOM
Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação (SOPCOM)
Universidade do Minho. Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS)
JournalAnuário Internacional de Comunicação Lusófona
Abstract(s)Este trabalho analisa a opinião de estudantes portugueses sobre o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, recentemente aprovado entre os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). O documento pretende uniformizar a ortografia da Língua Portuguesa, reduzindo substancialmente as diferenças entre as versões brasileira e portuguesa. Assim, realizámos um inquérito sobre o tema em Outubro de 2009, em Portugal. Nossa hipótese é que a opinião face ao Acordo será maioritariamente desfavorável, uma vez que para os portugueses este documento pode ser visto como uma ameaça identitária: o Acordo pode ser considerado como uma espécie de submissão, por parte do ex-colonizador (Portugal) para com uma ex-colónia (Brasil), uma vez que o Brasil é percebido como líder do processo de negociação que conduziu à versão final do Acordo. Como esperado, o nível de rejeição do Acordo foi elevado (70,1%). Este artigo procura analisar o discurso de rejeição do Acordo e os motivos invocados pelos inquiridos para tal posicionamento.
This paper analyzes the Portuguese’ opinion on the orthographic agreement recently approved among the countries members of the Portuguese Speaking Countries Community (CPLP). This agreement aims to homogenize Portuguese orthography by reducing substantially the discrepancy between the Brazilian and Portuguese versions. We conducted a survey about this issue in October/2009 in Portugal. Our hypothesis is that the Portuguese people will reject this agreement since it will be seen as an identity threat: the agreement is considered as a kind of submission by the former colonizer (Portugal) towards the former colonized (Brazil), which is perceived as leading the Agreement outcomes. As expected, the level of rejection of the Agreement was very high (70,1%).This paper seeks to analyze the discourse of rejection of the Agreement and the kind of motives invoked by Portuguese respondents for this position.
Typearticle
URIhttp://hdl.handle.net/1822/36749
ISSN1807-9474
Publisher versionhttp://www.lusocom.org/pt/livro/99
Peer-Reviewedyes
AccessopenAccess
Appears in Collections:CECS - Artigos em revistas internacionais / Articles in international journals

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RC_anuario_2010.pdfAnuário100,61 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis