Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/35550

TítuloGeomorfologia, património e actividades de lazer em espaços de montanha: exemplos no Portugal Central
Autor(es)Cunha, Lúcio
Vieira, António
Palavras-chavePatrimonio Geomorfológico
Sítios geomorfológicos
Geomonumentos
Lazer e turismo
DataAbr-2004
CitaçãoCunha, Lúcio; Vieira, António. Geomorfologia, património e actividades de lazer em espaços de montanha. Exemplos no Portugal Central, Trabalho apresentado em III Seminário Latinoamericano de Geografia Física , In Actas do III Seminário Latinoamericano de Geografia Física , Puerto Vallarta, 2004.
Resumo(s)Para actividades de turismo e lazer, para actividades desportivas ou tratamento terapêutico, para investigação científica ou Educação ambiental, os espaços rurais e, particularmente os espaços de montanha, têm vindo a ser progressivamente procurados, utilizados e fruídos, mas também consumidos e vendidos à sociedade urbana dos nossos dias. Se o património natural (e, particularmente o património geomorfológico) potencia a procura, a fragilidade ambiental dos espaços rurais em geral e dos espaços de montanha, em particular, implica rigorosos cuidados de gestão de modo a não delapidar um património que não é só de agora, nem só de alguns. Aproveitando as potencialidades dos Sistemas de Informação Geográfica (SIG’s), pretende-se criar um modelo de gestão para actividades de lazer e turismo nos espaços de montanha em que se integram, entre outros: o inventário dos recursos naturais e, particularmente, do património geomorfológico; as ofertas a nível de infra-estruturas para turismo e lazer; as áreas particularmente sensíveis ou com necessidades particulares de preservação; e os locais e itinerários para diferentes tipos de actividades. Pretende-se aplicar este modelo a dois espaços rurais tradicionais de montanha do Centro de Portugal, as Serras de Sicó e do Montemuro, diferentes entre si, na sua posição, na dimensão, na altitude e nas características geológicas, geomorfológicas e ambientais. Nestas serras, integradas na rede Natura 2000, as actividades turísticas formais estão ainda numa fase incipiente, ainda que sejam sistematicamente visitadas por grupos informais de passeantes e, sobretudo, muito utilizados para actividades desportivas de sabor radical (montanhismo; escalada; slide; canoagem e “rafting”; rappel; espeleologia), pelo que este instrumento parece ser de utilidade para autarquias e outras entidades com responsabilidade de gestão do território.
TipoconferencePaper
URIhttp://hdl.handle.net/1822/35550
Arbitragem científicayes
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:GEO - Artigos em livros de atas de congressos internacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
CunhaVieira-PatrimonioGeomorf_3slagf.pdf460,4 kBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis