Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/32815

TitleCoparenting in fathers during the transition to parenthood
Other titlesCoparentalidade em pais - homens durante a transição para a parentalidade
Author(s)Pinto, Tiago Miguel Pires
Advisor(s)Figueiredo, Bárbara
Lamela, Diogo
KeywordsTransition to parenthood
Coparenting
Fathers
Depression
Anxiety
Partner’s relationship quality
Transição para a parentalidade
Coparentalidade
Pais - homens
Depressão
Ansiedade
Qualidade do relacionamento com a parceira
Issue date2014
Abstract(s)Coparenting establishment is a new developmental task during the transition to parenthood with importance to the success of this developmental transition that needs to be better explored. However, only few studies have investigated (a) coparenting development path during pregnancy and (b) individual and dyadic processes associated to the positive resolution of this developmental task in fathers. Addressing these gaps on coparenting investigation, the aims of the present study are: (1) to analyze coparenting development path in fathers from the first trimester of pregnancy until childbirth, (2) to explore the effects of individual (depression and anxiety) and dyadic (partner’s relationship quality) dimensions on coparenting development path during this period in fathers, (3) to study differences in coparenting according to fathers’ depression, anxiety and partner’s relationship quality at the first trimester of pregnancy and (4) to study fathers’ depression, anxiety and partner’s relationship quality as predictors of coparenting at childbirth. The sample consists in 41 primiparous fathers. Three assessments were performed with the same measures: 1st and 3rd trimester of pregnancy and childbirth. A significant decrease in coparenting between the 1st trimester of pregnancy and childbirth was found. No effects for depression, anxiety and partner’s relationship quality on fathers’ coparenting developmental path were found. Significant lower levels of coparenting at childbirth were found in depressed fathers at the 1st trimester of pregnancy. Fathers’ depression at the 1st trimester was identified as the best predictor of coparenting at childbirth. The present study represents an important advance in the developing literature on early coparenting relationships (1) by analyzing coparenting developmental path in fathers from the beginning of pregnancy and (2) by identifying depression as an important dimension associated to the positive resolution of coparenting developmental task in fathers.
O estabelecimento da coparentalidade consiste numa nova tarefa de desenvolvimento durante a transição para a parentalidade importante para o sucesso desta transição desenvolvimental. No entanto, particularmente em pais-homens, poucos estudos investigaram (a) a trajetória de desenvolvimento da coparentalidade durante a gravidez e (b) os processos individuais e diádicos associados à resolução positiva desta tarefa. Colmatando estas lacunas, os objetivos do presente estudo são analisar: (1) a trajetória de desenvolvimento coparentalidade em paishomens desde o primeiro trimestre de gravidez até ao parto, (2) os efeitos de dimensões individuais (depressão e ansiedade) e diádicas (qualidade do relacionamento com a parceira) na trajetória de desenvolvimento da coparentalidade em pais-homens durante este período, (3) diferenças na coparentalidade de acordo com a depressão e ansiedade dos pais-homens e a qualidade do relacionamento com a parceira no primeiro trimestre de gravidez e (4) a depressão e ansiedade dos pais-homens e a qualidade do relacionamento com a parceira como preditores da coparentalidade no momento do parto. A amostra consiste em 41 pais-homens primíparos. Três avaliações foram realizadas com as mesmas medidas: primeiro e terceiro trimestre de gravidez e parto. Uma diminuição significativa na coparentalidade entre o primeiro trimestre de gravidez e o parto foi encontrada. Não foram encontrados efeitos da depressão e ansiedade e da qualidade do relacionamento com a parceira na trajetória de desenvolvimento da coparentalidade. Níveis mais baixos de coparentalidade no parto foram encontrados nos pais-homens deprimidos no primeiro trimestre de gravidez. A depressão no primeiro trimestre foi identificada como o preditor mais robusto da coparentalidade no momento do parto. O presente estudo representa um importante avanço na literatura sobre a coparentalidade pelo facto de (1) analisar a trajetória de desenvolvimento da coparentalidade em pais-homens desde o início da gravidez e (2) identificar a depressão como uma importante dimensão associada à resolução positiva desta tarefa de desenvolvimento em pais-homens.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado integrado em Psicologia (área de especialização em Psicologia Clínica e da Saúde)
URIhttp://hdl.handle.net/1822/32815
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado Integrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tiago_Miguel_Pires_Pinto.pdf485,27 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID