Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/30456

TitleTeatro popular: análise sobre a construção de um conceito estético-sociológico
Other titlesPopular theatre: analysis about the construction of a aesthetic-sociological concept
Author(s)Silva, Uirá Iracema
Advisor(s)Ribeiro, Rita
KeywordsTeatro
Teatro popular
Sociologia da cultura
Cultura popular
Cultura de massa
Theatre
Popular theatre
Sociology of culture
Popular culture
Mass culture
Issue date2014
Abstract(s)Resumo: A presente dissertação foi realizada no âmbito do Mestrado em Comunicação, Arte e Cultura da Universidade do Minho e tem por objetivo analisar a construção e desenvolvimento do conceito de teatro popular, em conjunção com as suas práticas, desde as suas primeiras enunciações até os dias atuais, considerando os elementos estéticos e sociológicos empregados na sua edificação. Para isso, foram utilizados estudos sobre o gênero presentes na obra de Jean-Jacques Rousseau, Bertolt Brecht, Augusto Boal, entre outros, através dos quais foi possível identificar a presença de duas interpretações principais na caracterização do teatro popular. A primeira, chamada neste trabalho de Abordagem Afirmativa-descritiva, considera o conceito de popular como não-absoluto, mas tangível, do qual uma obra pode aproximar-se ou distanciar-se de acordo com uma série de atributos presentes na sua produção, encenação e fruição. A segunda interpretação, chamada neste trabalho de Abordagem Mercantil, analisa o teatro popular do ponto de vista da sua receção, enquadrando-o dentro dos parâmetros da cultura de massa e considerando suas obras mais ‘populares’ conforme o seu maior potencial como mercadorias de consumo. Esta perspetiva, que ganhou predominância a partir do século XIX, com as políticas napoleônicas de regulação das artes teatrais, define o entretenimento como objetivo primordial desta linguagem. O teatro popular, como prática, nasceu na Grécia Antiga no século VI AC. Porém, foi apenas no século XVIII DC que o seu conceito foi enunciado pela primeira vez, no contexto das discussões humanistas do Iluminismo. Hoje, este gênero encontra-se dividido entre interpretações que o vinculam à indústria do entretenimento e perspetivas que, por outro lado, o consideram uma importante arma de contestação do status quo. Este trabalho propõe-se a trazer à tona as discussões sobre a formação de uma arte que acompanhou a história evolutiva da sociedade ocidental, como constituição narrativa, ferramenta de discussão e de mudança desta sociedade, em busca de uma conceitualização afirmativa capaz de contribuir para a sobrevivência desta arte e para a manutenção e ratificação do seu poder como transformadora social.
Abstract: This work was prepared in a Masters in Communication, Arts and Culture, University of Minho, and its purpose is to analyze the construction and development of the concept of popular theatre, together with its practices, since its first enunciations until the present day, considering aesthetics and sociological elements used in this process. To this aim, studies about this genre present in the work of Jean-Jacques Rousseau, Bertolt Brecht, Augusto Boal, Roland Barthes, Raymond Williams, Joel Schechter, among others were used, whereby it was possible to identify the use of two main interpretations of the term popular theatre. The first one, in this work called Affirmative-Descriptive Approach, considers the concept of popular as nonabsolute, but tangible, to which a work can get closer or further away, according to a range of attributes present in its production, performance and fruition. The second interpretation, in this work called Mercantile Approach, analyzes popular theatre from the point of view of its reception, framing it according to the parameters of mass culture and considering its work more ‘popular’ as its bigger potential as consumer goods. This perspective, which reached predominance from the Eighteenth Century on with the Napoleonic regulations for the theatrical arts, defines entertainment as its main goal. Popular theater was born, as a practice, in the Ancient Greece, in the Sixth Century BC. But, it was just in the Eighteenth Century AD this concept was articulated by the first time, inside the humanistic discussions of the Enlightenment. Lately, this genre is divided between interpretations that link it to the entertainment industry and perspectives that, in the other side, consider it as an important social contestation weapon. This work aims to bring up the discussion about the shaping of an art which has followed the historical evolution of the Western society, as its narrative constitution, tool for discussion and change in society, looking for an assertive conceptualization able to contribute to the survival of this art and for maintenance and ratification of its power as a tool of social transformation.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado em Comunicação, Arte e Cultura
URIhttp://hdl.handle.net/1822/30456
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado
CECS - Dissertações de mestrado / Master dissertations

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Uirá Iracema Silva_Dissertação de Mestrado_CD.pdf1,27 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID