Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/25999

TitleO lugar da infância em tempos de crise
Author(s)Machado, Natália Cristina da Silva e Sá
Advisor(s)Fernandes, Natália
KeywordsGlobalização
Crise
Infância
Pobreza infantil
Consumo
Cidadania
Participação
Globalization
Crisis
Childhood
Infantile poverty
Consumption
Citizenship
Participation
Issue date2013
Abstract(s)Este trabalho incide no estudo acerca das representações que as crianças têm da crise socioeconómica. A investigação organizou-se em dois momentos que envolveram de forma diferenciada as crianças que nela participaram. Num primeiro momento, desenvolveu-se uma investigação participativa com um grupo de crianças que foram responsáveis pelo design e aplicação das entrevistas previstas na investigação, realizadas posteriormente com um outro grupo de crianças, as quais foram os informantes privilegiados da pesquisa e de cujas narrativas resultou o material analisado. Assim sendo, é objetivo desta investigação compreender de que forma as crianças percecionam a crise socioeconómica e que espaço encontram para a concretização da sua cidadania, foi possível estabelecermos uma leitura heterogénea dos seus diálogos e narrativas que encontram eco nas posições adulto-centrados. Preocupamo-nos, por um lado, em tentar saber de que modo as condições socioeconómicas caracterizam e interferem na construção da identidade social das crianças, pela forma como se posicionam a si e aos outros na esfera social. Por outro lado, pretendemos perceber que estratégias e que dinâmicas definem nos seus quotidianos para fazer face às adversidades e que posições resilientes encontram nos seus mundos de vida. O trabalho empírico é apresentado ao longo de várias dimensões que retratam as representações destas crianças acerca da crise, nomeadamente: as ambivalências do retrato de um país em crise visto pelas crianças; as implicações da crise económica na vida das crianças; a infância protegida versus infância desprotegida em tempos de crise; as propostas das crianças para evitar e solucionar a crise; os mecanismos de defesa perante uma crise, e, ainda as medidas que as crianças tomariam se eu mandasse no país. Neste processo é, ainda, relevante ilustrar que tipo de estratégias as crianças usam quando se revêm como participantes ativos no exercício dos seus direitos, quer seja os direitos de proteção, de participação ou de cidadania. Os resultados da investigação vêm demostrar que as crianças não revelam atitudes de passividade ou de indiferença relativamente às questões que se prendem com o meio social e económico do país, pois ao longo do trabalho pudemos constatar que foram formando opiniões que anunciam que, estas crianças apresentam as características defendidas pela sociologia da infância, i.e. são identificadas como sujeitos de direitos e aplicam a sua voz para dar visibilidade ao exercício da sua cidadania.
This dissertation describes a research on children’s representations about the socio-economic crisis. The research was organized in two major moments, requiring each one different levels of participation from those children. On the first moment, a collaborative participation was required from a group of children that was responsible for the design and the formalization of the interview that was applied, later, to the second group of children. This second group of children became the key informants, providing information and material fundamental to this research. This research aims to understand the different perception levels that children have about the socio-economic crisis and the space they manage to find for the fulfillment of their own citizenship, allowing at same time an heterogeneous reading on their dialogs and descriptions, translations from adult-centralized positions. Our concern, in one hand, was to try to understand in which level the socio-economic items describe and interfere on the construction of the children’s social identity, analyzing the way they locate themselves and others on the social sphere, on the other hand, we aim to understand the dynamics and daily strategies they take to face the adversity, and the resiliency they find in their ways of living. We present this empirical work detailed in several dimensions allowing us to understand children’s representation about the crisis, named: The ambivalent picture on children’s eyes of a country in crisis; the implications of the economic crisis on children’s life; children’s proposals to avoid and to solve the crisis; the defense mechanism in order to face the crisis; and, at the end, the actions that children would take “if I was the one in charge of the country”. It is important to illustrate children were involved in different strategies that allowing them to be active participants on the fulfillment of their rights, namely, protection, participation or citizenship rights. This research shows us that children do not reveal passivity on their attitudes or indifference towards the social and economic environment because it was clear during the research that these children were building opinions involved with some of the characteristics described by childhood sociology, this is, they identified themselves as subjects of the rights and applied their voice to give visibility to their own citizenship.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado em Sociologia da Infância
URIhttps://hdl.handle.net/1822/25999
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Natália Cristina da Silva e Sá Machado.pdf2,15 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID