Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/24814

TitleA contraurbanização: paisagem e humanidade
Author(s)Calheiros, António Almeida
Duque, Eduardo Jorge
KeywordsCidades
Campos
Territórios
Contra-urbanização
Industrialização
Metamorfose das cidades
Desenvolvimento sustentável
Counter-urbanization
Industrialization
Metamorphosis of cities
Sustainable development
Issue date2012
PublisherAssociação Portuguesa de Sociologia (APS)
Abstract(s)A contraurbanização é hoje uma realidade incontornável, prolixa e caracterizada por dinâmicas estruturantes de dimensão diversa. Este fenómeno, designado na linguagem anglosaxónica por population turnaround, consiste no declínio demográfico e industrial das áreas urbanas centrais em detrimento da revitalização populacional e industrial de espaços rurais do mundo desenvolvido. Por isso mesmo, como acabamos de afirmar, trata-se de um fenómeno prolixo, não generalizado, que coincide com o declínio das cidades industriais e define um novo marco de urbanização do espaço rural e/ou crescimento das periferias, contrariando os processos de urbanização e reurbanização, que transformaram as cidades em pólos aglutinadores de recursos. Surge como uma reacção à degradação física e social das cidades centrais, potenciada pelo rápido desenvolvimento tecnológico, com incidências directas ao nível das vias de comunicação, e o declínio das indústrias tradicionais, factores geradores de uma urbanização dispersa e difusa. Por isso, contrariamente à suburbanização, a contraurbanização marca uma ruptura simbólica com a cidade, iniciando-se com ela uma nova fase de produção do espaço e de relações. Assume particular relevância no contexto actual, onde se sente cada vez mais a necessidade de um desenvolvimento local que se quer homogéneo, integrado e sustentável. Neste sentido, porque tem a particularidade de descongestionar as cidades e revitalizar os espaços rurais, a contraurbanização afigura-se como um factor que pode contribuir para o desenvolvimento equilibrado das regiões e, por isso mesmo, passível de ser planificado. Decidimos abordar esta temática a partir de uma metodologia tripartida: noção e enquadramento histórico do fenómeno da contraurbanização; a cidade e as suas metamorfoses ao longo do tempo e, por último, os fundamentos teóricos da contraurbanização.
Nowadays, counter-urbanization is an inescapable reality, long-winded and characterized by structural dynamics of diverse dimension. This phenomenon, called population turnaround, has to do with the demographic and industrial decline of the central urban areas to the detriment of the population and industrial revitalization of rural spaces of the developed world. As we have just said, that is why this phenomenon is long-winded, not widespread, which coincides with the decline of industrial cities and sets a new milestone of urbanization of rural areas and/or growth of peripheries, contrary to the processes of urbanization and urban renewal, which turned the cities into spots where resources are agglutinated This arises as a reaction to the social and physical deterioration of the central cities, potentiated by rapid technological development, with direct implications at the level of lines of communication, and the decline of traditional industries, factors leading to a diffuse and dispersed urbanization. So, contrary to suburbanization, the counter-urbanization marks a symbolic break with the city, starting with it a new phase of production of space and relationships. It is particularly important in the current context, where there is an increasingly need for a local development that has to be homogeneous, integrated and sustainable. In this sense, because it has the particularity of decongesting the cities and revitalize rural spaces, the counter-urbanization would appear as a factor which may contribute to the balanced development of regions and, therefore, liable to be planned. We decided to tackle this issue from a tripartite methodology: notion and historical context of the phenomenon of counter-urbanization; the city and its metamorphoses over time and, finally, the theoretical foundations of counter-urbanization.
TypeConference paper
URIhttp://hdl.handle.net/1822/24814
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CECS - Comunicações / Communications
DS/CICS - Comunicações em encontros nacionais/Papers at National Meetings

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Contraurbanização.pdf459,19 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID