Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/24280

TitleColaboração terapêutica no momento de inovação de reconceptualização: análise de um caso de sucesso seguido em terapia focada nas emoções: o caso Lisa
Author(s)Santos, Beatriz Melo
Advisor(s)Ribeiro, Eugénia
Gonçalves, Miguel M.
KeywordsColaboração terapêutica
Momentos de inovação
Terapia focada nas emoções
Therapeutic collaboration
Innovative moments
Emotion- focused therapy
Issue date2012
Abstract(s)De acordo com o Modelo dos Momentos de Inovação, os momentos de inovação de reconceptualização (RC) ocorrem com maior frequência em casos de sucessos. Caracterizado como um catalisador da mudança, este momento é associado à transformação de uma auto-narrativa problemática numa nova narrativa mais adaptada e flexível. Um componente essencial neste momento de inovação (MI) é a presença de um metaposição face ao processo de mudança, posicionando o cliente como autor desta nova auto-narrativa. Assumindo que a mudança é também promovida pela interação entre terapeuta e cliente dentro da zona de desenvolvimento proximal terapêutica este estudo foca-se numa análise intensiva da colaboração terapêutica associada ao MIRC. O nosso objetivo é compreender o processo microinteractivo que promove a emergência de MIRCs ao longo do processo terapêutico e caracterizar a sequência de episódios interativos mais associados a este momento de inovação, num caso de sucesso seguido em Terapia Focada nas Emoções: O caso Lisa Os momentos de inovação de reconceptualização foram identificados pelo Sistema de Codificação Dos Momentos de Inovação (Gonçalves at al., 2011). O Sistema de Codificação da Colaboração Terapêutica (Ribeiro at al., 2012) permitiu a caracterização da colaboração terapêutica em análise ao longo da terapia. Os resultados mostraram que os momentos de inovação de reconceptualização emergem no seguimento de intervenções de suporte por parte do terapeuta, principalmente suporte no problema. O cliente inicia este MI ao avançar na zona para o seu nível de desenvolvimento potencial, por sua vez, o terapeuta é responsivo a este avanço através do suporte na inovação. A caracterizar o final deste MI encontrou-se um predomínio de episódios interativos em que o terapeuta retoma o trabalho junto à zona de desenvolvimento atual da cliente. A cliente acompanha o terapeuta para o seu nível atual, passando a díade a trabalhar ao mesmo nível.
According to the innovative moments model, Innovative Moments of Reconceptualization (RC) occur more frequently in good-outcome cases. Characterized as a catalyst of change, it is associated with the transformation of the problematic self-narrative into a new and more adapted one. A main feature of this IM is the presence of a meta-level perspective of the process of change, leading to a sense of authorship of the new self-narrative. Assuming that this change is also promoted by the interaction between therapist and client within a client’s therapeutic zone of proximal development this work focus on the intensive analysis of therapeutic collaboration associated to the RCIM. Our aim is to shed light on the interactive micro processes which promote the emergence of the RCIM throughout the therapeutic process and characterize the sequence of therapeutic exchanges most associated to the RCIM, in a good outcome case of Emotion Focused Therapy: Lisa’s case. Reconceptualization innovative moments were identified using the Innovative Moments Coding System (Gonçalves at al., 2011). Therapeutic collaboration throughout all the sessions is under analysis using the Therapeutic Collaboration Coding System (Ribeiro at al., 2012). We found that most of the reconceptualization moments emerge following therapist supporting interventions, specifically supporting problem. The client initiates these IMs by moving forward to her potential level with tolerable risk responses, and by being responsive to this movement the therapist supports the client by supporting innovation. The end of this IMs are associated to therapeutic exchanges in which the therapist return to work closer the client’s actual level of the therapeutic zone of proximal development. The client follows the therapist to her actual level and the dyad starts to work at the same level again.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado integrado em Psicologia (área de especialização em Psicologia Clínica)
URIhttp://hdl.handle.net/1822/24280
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado Integrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Beatriz Melo Santos.pdf3,41 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID