Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/22899

TitlePhysical growth, mental development and neuro-endocrine functioning in Portuguese institutionalized children : a longitudinal study
Author(s)Marques, Teresa Sofia Moreira
Advisor(s)Soares, Isabel
Sousa, Nuno
Issue date19-Oct-2012
Abstract(s)O presente estudo teve como principal objectivo descrever e compreender o crescimento físico, funcionamento neuro-endócrino e o desenvolvimento mental de crianças colocadas em instituições Portuguesas, ao longo da sua permanência na instituição e desde o momento de admissão. Pretendia-se também compreender a contribuição de factores individuais da criança e ambientais para os resultados nos domínios do desenvolvimento acima mencionados. Trinta e uma crianças, com idades até aos 30 meses, foram avaliadas no momento de admissão na instituição e em mais três momentos subsequentes. As cuidadoras institucionais também participaram no estudo. O crescimento físico (Direcção-Geral de Saúde, 2005), desenvolvimento mental (Bayley, 2006), e produção diurnal de cortisol (funcionamento neuro-endócrino) foram avaliados em quatro momentos de avaliação ao longo de 8 meses de institucionalização. Os comportamentos sensíveis e cooperantes (Ainsworth, Bell, & Stayton, 1974) dos cuidadores institucionais em interação com a criança foram avaliados, bem como a qualidade do contexto institucional (Silva et al., 2010). As experiências préinstitucionais da criança foram também analisadas. Observaram-se ganhos significativos no peso e perímetro cefálico das crianças ao longo do tempo, mas não no comprimento. Ao longo do tempo foram persistentes os défices moderados ao nível cognitivo, da linguagem e desenvolvimento motor. A produção diurnal de cortisol foi mais elevada no momento da admissão da criança na instituição, diminuiu durante os meses seguintes, tendo tendido a aumentar novamente após os 8 meses de institucionalização. As experiências pré-natais, a idade e a condição da criança no momento de admissão e a qualidade do contexto institucional contribuíram para os resultados desenvolvimentais.
The aim of the present study was to describe and understand the physical growth, neuroendocrine functioning and mental development of children placed in Portuguese institutions from the time of admission onwards. It was also our intention to understand the environmental and individual contributors for the outcomes in such developmental domains. Thirty-one children, with ages up to 30 months, were assessed at the time of their admission at the institution and afterwards, in three time point assessments. Institutional caregivers also participated in the study. The physical growth (Direcção-Geral de Saúde, 2005), mental development (Bayley, 2006), and diurnal cortisol production were assessed in four time points throughout 8 months of institutionalization. The sensitive/cooperative behaviors (Ainsworth, Bell, & Stayton, 1974) of the institutional caregiver towards the child were assessed, as well as the quality of the institutional context (Silva et al., 2010). The child pre-institutional life experiences were analyzed. Significant gains were observed in weight and head circumference growth, but no gains occurred in height growth across time. Moderate deficits persisted in cognitive, language and motor development across time. Diurnal cortisol production was higher at the admission at the institution, diminished in the following 5 months but tended to increase again after 8 months of institutionalization. Prenatal experiences, age and the child’s status at the admission at the institution, and the quality of the institutional context contributed to the developmental outcomes.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de doutoramento em Psicologia (área de especialização em Psicologia Clínica)
URIhttp://hdl.handle.net/1822/22899
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
CIPsi - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Teresa Sofia Moreira Marques.pdf3,1 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID