Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/22128

TitleA avaliação do processamento auditivo em crianças de 10 a 13 anos : sua função como indicador da perturbação da comunicação e do desempenho académico
Author(s)Nunes, Cristiane Lima
Advisor(s)Carvalho, Graça Simões de
Pereira, Liliane Desgualdo
Issue date10-Jul-2012
Abstract(s)Já nos anos 50 do século XX se dava importância a avaliar-se o Processamento Auditivo (PA) em crianças com dificuldades na comunicação (Myklebust, 1954), o que em Portugal é designado por Perturbações da Comunicação (PC), e que se refere ao prejuízo no desenvolvimento das funções comunicativas relacionadas com a expressão oral, escrita e/ou compreensão (Costa, 2011). Para além dos estudos que apontam as implicações entre a Perturbação do Processamento Auditivo (PPA) e a Perturbação da Comunicação (PC), pesquisas científicas atuais demonstram uma forte associação entre a PPA e o fraco desempenho académico (Bellis, 2000; Farias, Toniolo, & Cóser, 2004). No presente estudo pretendeu-se verificar se existe relação entre as variáveis desempenho académico e a perturbação da comunicação, bem como a avaliação comportamental do processamento auditivo, com utilização de testes não-verbais e testes verbais adaptados ao português europeu.Inicialmente foi feita uma preparação dos testes auditivos verbais que seriam aplicados aos sujeitos da amostra com gravação dos estímulos e validação em adultos com limiares de audição dentro da normalidade. Em seguida, aplicámos oito testes auditivos em uma amostra de 51 crianças com idade entre 10 e 13 anos, de ambos os sexos, frequentando escolas públicas da região Norte de Portugal. Foram reunidos em quatro grupos: Grupo com elevado desempenho Académico e de Comunicação (AC); Grupo com elevado desempenho Académico e baixo desempenho na Comunicação (Ac); Grupo com baixo desempenho Académico e elevado desempenho na Comunicação (aC); Grupo com baixo desempenho Académico e de Comunicação (ac). Procedeu-se à análise dos resultados obtidos nos oito testes auditivos aplicados para avaliação do processamento auditivo e também a verificação dos comportamentos auditivos medidos por um questionário específico (Scale of Auditory Behavior - SAB). A amostra foi estudada com base no desempenho académico e de comunicação, idade,sexo, limiar de audibilidade, e o índice de reconhecimento de fala. Todas as 51 crianças foram submetidas aos testes auditivos. Assim, para este estudo foram aplicados dois testes verbais de atenção seletiva gravados em português europeu (testes Fala com Ruído e Dicótico de Dígitos), e dois testes não-verbais que medem o processamento temporal (testes Padrão de Duração e ‘Gaps-In-Noise’). Além destes, utilizou-se um teste que também mede a atenção seletiva mas com sons verbais apresentados de forma cantada (teste Dicótico de Dígitos Harmónicos), e os testes do rastreio do processamento auditivo (testes de Localização sonora, Memória sequencial com sons verbais e não-verbais). Foram utilizados testes estatísticos de associação, análise de variância, razão de verosimilhanças, coeficiente de correlação de Pearson, modelo de regressão linear e múltipla, e também construídas curvas ROC para analisar os dados obtidos representados por meio de estatística descritiva. Em cada teste de hipótese foi fixado o nível de significância a 95%. Foi possível aceitar a construção dos testes Fala com Ruído e Dicótico de Dígitos em português europeu tendo em vista o enquadramento técnico da gravação na manipulação dos sons e a validação realizada na população portuguesa. Verificou-se associação entre as variáveis desempenho académico e de comunicação, concluindo-se que a presença de perturbação da comunicação prejudica diretamente o desempenho académico. Desta forma, crianças com dificuldades escolares devem realizar uma avaliação das competências comunicativas. Verificou-se que há mais crianças do sexo masculino (83,9%) do que do sexo feminino (16,1%) com dificuldades de desempenho académico. A variável idade não revelou interferência neurobiológica maturacional para os testes auditivos em crianças de 10 a 13 anos de idade. A variável limiar de audibilidade, medido pela média tritonal audiométrica, foi controlada em todos os grupos estudados e não mostrou associação com os mesmos. O Índice Percentual de Reconhecimento de Fala não apresentou respostas discrepantes entre os ouvidos ou o grupo estudado, e portanto não gerou interferência dos parâmetros estudados. Crianças com baixo desempenho académico e de comunicação têm baixos escores na pontuação, utilizando o questionário Scale of Auditory Behavior. Crianças com dificuldades académicas revelam dificuldades na ordenação temporal e portanto o uso de testes de processamento temporal são fundamentais em crianças com dificuldades académicas. Crianças com fraco desempenho académico e com perturbação da comunicação apresentam mais dificuldade em testes que envolvem a atenção seletiva, tais como o teste Fala com Ruído e Dicótico de Dígitos. A tarefa de resolução temporal, observada pela aplicação do teste Gaps-In-Noise, foi a que melhor se associou a crianças sem dificuldade académica e de comunicação. Numa análise global dos parâmetros revelados pelas medidas de sensibilidade e especificidade, os testes de processamento temporal, foram os que apresentaram melhores níveis de confiança. Os testes cujo desempenho da amostra possibilitou estabelecer valores de referência pela medição do valor de corte através da Curva ROC foram os Testes Memória Seqüencial Verbal (maior do que 1,6 acertos); teste Dicótico de Dígitos (acertos no ouvido direito maior ou igual a 95,2%, acertos no ouvido esquerdo maior ou igual a 91.5%); teste Padrão Harmónico em Escuta Dicótica com Dígitos (acertos no ouvido direito maior ou igual a 93,3%, acertos no ouvido esquerdo maior ou igual a 81,3%); teste Padrão de Duração (acertos no ouvido direito e/ou esquerdo maior ou igual a 47,4%); e o teste Gaps-In- Noise (limiares no ouvido direito e esquerdo até 5,5ms). Os valores normativos encontrados nos oito testes do processamento auditivo são muito próximos ou idênticos aos encontrados na população brasileira, sendo que a maior discrepância foi observada no teste Fala com Ruído. Encontrou-se associação entre a ordenação temporal, medida pelos testes de Memória Sequencial Verbal e Padrão de Duração, e as classificações de todas as disciplinas. Desta forma, o desempenho académico pode ser previsto pela análise da competência de ordenação temporal/processamento temporal. A escala SAB (Scale of Auditory Behavior) tem uma forte associação com a perturbação do processamento auditivo, assim a sua utilização pode ser incentivada nas ações educativas de prevenção e saúde escolar. Por fim, apresenta-se uma proposta de trabalho com ações que podem ser implementadas num Programa de Saúde Escolar que visem avaliar o desenvolvimento de capacidades auditivas e auxiliar na prontidão para a aquisição de competências linguísticas e académicas.
Already in the years 50s of the 20th century it was considered important to evaluate the auditory processing (AP) in children with difficulties in communication (Myklebust, 1954). In Portugal it is known by Communication Disorders (CD), and refers to the harm in the development of communicative functions related to oral or written expression and/or understanding (Costa, 2011). In addition to the studies that suggest implications between the Auditory Processing Disorder (APD) and the Communication disorder (CD), current scientific surveys demonstrate a strong association between the APD and the weak academic performance (Bellis, 2000; Farias, Toniolo, & Cóser, 2004). The present study intends to verify whether there is an association between the academic performance variables and communication disorders, as well as the behavioural assessment of auditory processing using non-verbal and verbal tests adapted to European Portuguese language. Initially, two verbal tests to be applied to the subjects of the sample were constructed and validated. This involved recording and validation in adults with normal hearing. Then, we applied eight hearing tests on a sample of 51 children, aged between 10 and 13 years old, of both sexes, enrolled in public schools in the Northern region of Portugal. Four groups were organised: Group with high Academic performance and absente Communication disorder (AC); Group with high Academic performance and presence of Communication disorder (Ac); Group with poor Academic performance and absent of Communication disorder (aC); Group with poor Academic performance and presence of Communication disorder (ac). Analysis of the results obtained in all eight tests to assess auditory processing as well as verification of auditory behaviors measured by a specific questionnaire (Scale of Auditory Behavior) were carried out. The sample was studied based upon the academic performance and communication, age, sex, hearing threshold, and rate of speech recognition. All 51 children were evaluated with hearing tests. For this study two verbal tests of selective attention recorded in European Portuguese (Speech in Noise test and Dichotic Digit test), and two non-verbal tests that measure the temporal processing skills (Duration Pattern test and Gaps-In Noise test) were applied. In addition, a test that also measures selective attention but with verbal sounds presented in a melodic form (Harmonic Dichotic Digit test), and screening tests of auditory processing assessment (Sound localization tests, Sequential memory with verbal and non-verbal sounds tests) were applied. Statistical tests of association, variance analysis, likelihood ratio, Pearson's correlation coefficient, linear and multiple regression were carried out. In addition ROC curves to analyze the findings obtained by descriptive statistics were constructed. In each hypothesis the test significance level was set at 95%. It was possible to accept the construction of verbal tests in European Portuguese in view of the technical framework of the recording in the manipulation of sounds and validation performed in the Portuguese population. Association between the academic performance variables and communication was found, indicating that the presence of communication disorder affects the academic performance. Thus, children with learning difficulties should be submitted to assessment of communication skills. More boys (83.9%), than girls (16.1%), had academic difficulties. The age variable did not reveal neurobiological maturational interference for hearing tests in children with 10 to 13 years of age. The variable threshold of audibility, as measured by audiometry was controlled in all groups and showed no association with them. The Percentage Index of Speech Recognition Test did not show differing responses between the ears or the study group, and therefore did not generate interference parameters. Children with low academic performance and communication disorder have low scores on the questionnaire score using Scale of Auditory Behavior. Children with academic difficulties had more difficulties in the temporal ordering tests. Children with poor academic performance and communication disorder had more difficulty in tests involving selective attention, such as the Speech in Noise test and Dichotic Digit test. The task of temporal resolution, observed by the application of the Gaps in noise test, was the best test associating children without academic and communication difficulties. A comprehensive analysis of the parameters revealed by measures of sensitivity and specificity, temporal processing tests, showed the highest levels of confidence. Testing the performance of the sample allowed the establishment values of reference for measuring the cut-off value by ROC curve were the Sequential Verbal Memory Test (greater than 1.6 hits), the Dichotic Digit listening test (correct answers in the right ear greater than or equal to 95.2% in the left ear greater than or equal to 91.5%), in Harmonic Dichotic Digits (the right ear greater than or equal to 93.3%, the left ear greater than or equal to 81.3 %), Duration Pattern test (correct answers in the right ear and/or left greater than or equal to 47.4%) and the test Gaps-In-Noise (thresholds in the right ear and left above 5.5 ms). The normative values found in all eight tests of auditory processing are very close or identical to those found in the Brazilian population; the largest discrepancy was observed in the Speech in Noise test. The temporal ordering, as measured by tests Sequential Verbal Memory and Duration Pattern are associated with the classifications of all disciplines. Thus, academic performance can be predicted by the analysis of temporal ordering skills / temporal processing. The scale SAB (Scale of Auditory Behavior) has a strong association with auditory processing disorder, so its use should be encouraged on educational prevention and school health. Finally, it is proposed a work plan with actions that can be implemented in a School Health Program aiming at evaluating the development of hearing skills as well as assist in readiness for the acquisition of language skills and promoting academic performance.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de doutoramento em Estudos da Criança (área de especialização em Saúde Infantil)
URIhttps://hdl.handle.net/1822/22128
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
CIEC - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Cristiane Lima Nunes.pdf4,92 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID