Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/14428

TitleSerum total and bone alkaline phosphatase and tartrate-resistant acid phosphatase activities for the assessment of bone fracture healing in dogs
Other titlesFosfatase alcalina total, isoenzima óssea da fosfatase alcalina e fosfatase ácida resistente ao tartarato na monitorização da cicatrização de fraturas ósseas
Author(s)Sousa, C. P.
Reis, R. L.
Gomes, Manuela E.
Dias, Isabel R.
Abreu, H.
Viegas, Carlos A.
Azevedo, J. M. T.
KeywordsCão
Fosfatase alcalina
Fosfatase ácida resistente ao tartarato
Fratura
dog
alkaline phosphatase
tartrate-resistant acid phosphatase
fracture healing process
Issue date13-Jun-2011
PublisherUniversidade Federal de Minas Gerais. Escola de Veterinária
JournalArquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia
Abstract(s)O objetivo deste trabalho foi estudar o padrão de variação da atividade sérica da fosfatase alcalina total (tALP), da isoenzima óssea da fosfatase alcalina (BALP) e da fosfatase ácida resistente ao tartarato (TRAP), assim como a variação da concentração dos minerais séricos durante o processo de cicatrização de fraturas ósseas no cão. A variação sérica destes marcadores do metabolismo ósseo foi avaliada em nove cães com fraturas diafisárias fechadas de ossos longos, submetidas a tratamento cirúrgico para osteosíntese. Durante o período pós-operatório, sete animais evoluíram no sentido de uma normal união óssea, sendo que dois deles desenvolveram um processo de não união óssea. Foram observados, relativamente à BALP, valores de actividade sérica mais elevados e com diferença estatística (P<0,05) no grupo de animais que evoluiu no sentido de uma normal união óssea, comparativamente ao grupo de animais que evoluiu no sentido do processo de não união. No grupo de animais que evoluiu para a completa união óssea foram, adicionalmente, observados valores diminuidos (P<0,05) da atividade sérica da TRAP, até ao dia 60 do período pós-operatório seguido de uma elevação estatisticamente significativa após este período. Em conclusão, os biomarcadores do metabolismo ósseo poderão vir a constituir um método auxiliar de diagnóstico na monitorização do processo de cicatrização de fracturas ósseas, possibilitando, a detecção precoce de complicações pós-operatórias.
TypeArticle
URIhttp://hdl.handle.net/1822/14428
DOI10.1590/S0102-09352011000400029
ISSN1678-4162
Peer-Reviewedyes
AccessRestricted access (UMinho)
Appears in Collections:3B’s - Artigos em revistas/Papers in scientific journals
ICVS - Artigos em Revistas Internacionais com Referee

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ABMVZ_Communication.pdf
  Restricted access
150,49 kBAdobe PDFView/Open    Request a copy!

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID