Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/13505

TitleO corpo em cruz: coreografias da carne
Author(s)Ribeiro, Eunice
KeywordsCorpo
Arte cristã
Arte contemporânea
Cruz
(Bio)identidade
Religião
Body
Christian art
Contemporary art
Cross
(Bio)identity
Religion
Issue date2011
PublisherUniversidade Católica Portuguesa. Faculdade de Filosofia de Braga
Abstract(s)A cruz comparece na arte contemporânea como iconografia persistente: ora de exibição de uma carnalidade sacrificial/ada, ou tão-só como resíduo icónico reutilizável, por exemplo em termos de grelha plástica de marcação corporal ou estrutura de acomodação e assemblage de fragmentos retratísticos. Em todo o caso, a sua permanente ligação ao corpo, icónica, indexal ou metafórica, parece continuar a admitir, até certo ponto, uma leitura religiosa pela via da trans-figuração da carne enquanto "passagem” do biológico (que ainda foi o de Bacon) para uma carnalidade outra: informacional, mediática, pós-humana. O que produz directas interferências não só com as novas questões da bioidentidade, da biopolítica e da bioética, como ainda com as interrogações actuais sobre o futuro da religião. Corpo, religião e arte: é uma dinâmica a três termos que aqui equacionaremos. Tirando partido reflexivo do que o pensamento filosófico contemporâneo tem avançado sobre uma possível teoria do corpo pósmoderno, por um lado, e sobre o abandono da cultura metafísica e da caução da ontologia ocidental, por outro lado, pretendemos observar criticamente um conjunto de produtos artísticos visuais do nosso e do último séculos de modo a recortar configurações conceptuais alternativas da “identidade”, distanciadas do paradigma teológico da imago dei mas ainda assim herdeiras de uma imago crucis de sinalização enfática e diferencial de corporalidade.
The cross appears in contemporary art as a persistent iconography: either as display of a sacrificial and mutant carnality or as a reusable iconic ‘grid’ for body marking and (self)portrayal re‑readings. In any case, its dynamic connection to the body seems to admit, to a certain extent, a religious assumption of flesh ‘transfiguration’ from the biological to a hypothetical post‑human ontology. Which causes direct interferences with the new issues of bio‑identity, bio‑politics and bioethics, as well as with the current questions about the future of religion. Taking reflective advantage of what the contemporary philosophical thought has advanced over a possible theory of the postmodern body, on one hand, and the decline of the western metaphysical culture, on the other hand, we wish to critically observe a set of visual artistic products of the present and previous centuries in order to cut out conceptual alternative configurations of “identity”, away from a theological paradigm of similarities and yet heirs to an imago crucis of emphatic and differential embodiment understanding.
TypeConference paper
URIhttp://hdl.handle.net/1822/13505
Peer-Reviewedyes
AccessRestricted access (UMinho)
Appears in Collections:CEHUM - Artigos em livros de atas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
O corpo em cruz (preprint).pdf
  Restricted access
Versão preprint.111,82 kBAdobe PDFView/Open    Request a copy!

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID