Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/75992

TitleThe Balanced Scorecard and Bureaucracy in the hospital environment: a Portuguese case study
Other titlesO Balanced Scorecard e a Burocracia no meio hospitalar: estudo de caso em Portugal
Author(s)Oliveira, Helena Maria da Costa
Advisor(s)Lima Rodrigues, Lúcia
Craig, Russell
KeywordsBalanced Scorecard
Bureaucracy
Health Care
Management Accounting
Balanced Scorecard
Burocracia
Contabilidade de Gestão
Saúde
Issue date3-Sep-2020
Abstract(s)This thesis analyses the link between Management Accounting (MA) and bureaucracy. The connection between them has not yet been analysed in previous studies. The main purpose of the thesis is to demystify bureaucracy, and to verify and understand its actual presence in organizations that are managed according to a contemporary MA tool, the Balanced Scorecard (BSC). The thesis is organized in four essays. The first essay presents a literature review that addresses the relationship between MA and bureaucracy. The essay concludes that developments in understanding bureaucracy are reflected in the evolution of MA tools and in the theoretical questioning of MA. The second essay presents the concept of neo-bureaucracy and highlights nine features that identify a contemporary bureaucratic order. The essay finds that the BSC is comprised of these nine features and that it adopts a neo-bureaucratic approach. The third essay reviews studies of the bureaucratic features of the operation of the BSC in hospitals and health care facilities. The essay also presents a qualitative case study of a Portuguese Local Health Unit (LHU) of a Public Sector Enterprise Health Care (PSEH) that implemented the BSC, evidencing full bureaucratic features. The fourth essay uses the metatheory of Thornton, Ocasio, and Lounsbury (2012), the Institutional Logic Perspective, to explain how the Portuguese PSEH context conducted to a neo-bureaucracy logic in its management. In this essay, three logics are identified: those of the state, the community and the profession, with the former logic dominant. Bureaucracy is still very present and valued in the PSEH, despite common prejudices against it. This thesis contributes to a better understanding of bureaucracy by stressing its relationship with the development of MA. The thesis proposes that the BSC be interpreted as a neo-bureaucratic device; and that institutional logic metatheory is a valid way to explain the Portuguese PSEH context and the persistence of bureaucracy therein. This thesis helps to develop a more mature understanding of bureaucracy. The implication for managers is that instead of confronting bureaucratic practices, they should accept bureaucracy as a form of collaborative, flexible and enabling management.
Esta tese discute a ligação entre a Contabilidade de Gestão (MA) e a burocracia. Esta ligação nunca foi analisada em estudos anteriores. O principal objetivo é desmistificar a burocracia, verificar e compreender a sua real presença em organizações geridas por uma ferramenta contemporânea, o Balanced Scorecard (BSC). A tese está organizada em quatro ensaios. O primeiro ensaio apresenta uma revisão de literatura que aborda a relação entre a MA e a burocracia. O ensaio concluí que desenvolvimentos no entendimento da burocracia estão refletidos na evolução de ferramentas da MA e nas teorias que a questionam. O segundo ensaio apresenta o conceito de neo-burocracia e nove características que identificam uma ordem burocrática contemporânea. O ensaio verifica que o BSC encapsula estas nove características e que adota numa abordagem neo-burocrática. O terceiro ensaio revê estudos sobre as características burocráticas na implementação do BSC em hospitais e cuidados de saúde. O ensaio também apresenta um estudo de caso de uma Unidade Local de Saúde Portuguesa (LHU), pertencente ao Sector de Saúde Empresarial do Estado (PSEH), que implementou o BSC, evidenciando todas as características burocráticas. O quarto ensaio recorre à meta teoria de Thornton, Ocasio, and Lounsbury (2012), a Perspetiva da Lógica Institucional (ILP), para explicar como o contexto Português do PSEH conduziu a uma lógica neo-burocrática de gestão. Neste ensaio foram identificadas três lógicas: estado, comunidade e profissão; com a primeira lógica dominante. A burocracia continua muito presente e valorizada no contexto do PSEH, apesar dos seus preconceitos comuns. Esta tese contribui para uma melhor compreensão da burocracia através da sua relação com a MA. Esta tese propõe que o BSC seja interpretado como ferramenta neo-burocrática e que a meta teoria da lógica institucional é uma forma válida para explicar o contexto Português do PSEH e a persistência da burocracia. Esta tese contribui para uma visão mais madura da burocracia. A implicação para os gestores é que em vez de confrontarem práticas burocráticas devem aceitar a burocracia como forma de gestão colaborativa, flexível e capacitadora.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de Doutoramento em Contabilidade
URIhttps://hdl.handle.net/1822/75992
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
EEG - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Helena Maria da Costa Oliveira.pdfTese de Doutoramento2,78 MBAdobe PDFView/Open

This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID