Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/66109

TitlePerceções de pais e profissionais de saúde dos apoios à parentalidade positiva. Um estudo das dimensões e determinantes das necessidades de apoio
Other titlesParents and health care professional’s perceptions on supporting positive parenting. Researching the dimensions and determinants of the support needs
Author(s)Martins, Silvana Peixoto
Advisor(s)Almeida, Ana Maria Tomás de
KeywordsParentalidade positiva
Perceções e necessidades de apoio à parentalidade
Cuidados de saúde primários
Determinantes da parentalidade positiva
Positive parenting
Perceptions and needs of parenting Support
Primary health care
Determinants of Positive Parenting
Issue date22-Jul-2019
Abstract(s)É cada vez mais reconhecido o impacto das relações positivas entre pais e filhos no desenvolvimento e bem-estar das crianças e na construção de um ambiente familiar saudável. Consequentemente, várias perspetivas teóricas e recomendações internacionais salientam a importância de apoiar os pais e desenvolver serviços e medidas de caráter universal promotores de uma parentalidade positiva na comunidade onde vivem as famílias. A família, os pais e as crianças têm necessidades muito específicas que importa conhecer, com vista a implementar intervenções mais ajustadas às realidades familiares. Dos diferentes serviços de apoio à comunidade, os Cuidados de Saúde Primários (CSP), cuja primordial missão se centra na intervenção primária, reúnem um conjunto de características que os tornam mais próximos das famílias. Dado o seu carácter universal e não estigmatizante os cuidados de saúde primários são identificados como recursos importantes no apoio, prevenção e promoção da parentalidade positiva. Com o intuito de explorar estas questões, estabelecemos como objetivos do presente estudo: 1) conhecer as perceções dos pais e dos profissionais de saúde relativamente às necessidades de apoio à parentalidade; 2) analisar a influência da ecologia familiar (caraterísticas das figuras parentais, das crianças e do meio social) nas dimensões da parentalidade (Afeto e reconhecimento, Envolvimento familiar, Comunicação e controlo do stress e Partilha de atividades); 3) proceder ao estudo das qualidades psicométricas da Escala da Parentalidade Positiva. A amostra de estudo reuniu 646 pais (N = 30 pais) e mães de crianças entre os 3 meses e os 6 anos de idade e um grupo de 41 profissionais de saúde que integravam as unidades funcionais de diferentes ACeS. As medidas aplicadas examinaram as perceções dos pais relativamente ao exercício da parentalidade, ao apoio formal e informal e às características temperamentais dos filhos. Complementámos estes dados com as perceções dos profissionais acerca do tipo de iniciativas de apoio à parentalidade disponibilizadas nos seus locais de trabalho. Os resultados corroboram as dimensões da Escala de Parentalidade Positiva (Suárez, Byrne, & Rodrigo, 2016) e a sua validade e consistência psicométricas, sugerindo a utilidade da escala para estudo das dimensões da parentalidade positiva e o seu potencial na avaliação de programas de apoio psicoeducativo à parentalidade em Portugal. Neste sentido, foi possível estabelecer a relação entre: as dimensões da parentalidade, as características de pais e crianças e os apoios ao exercício da parentalidade. Os resultados mostram que a idade da criança, a idade e a escolaridade da mãe e o local de residência das famílias são variáveis que condicionam o exercício positivo do papel parental. Relativamente à análise dos apoios formal e informal revelou-se a existência de diferentes necessidades de apoio que incluem a promoção do ambiente familiar positivo (envolvimento familiar nos cuidados, o afeto e reconhecimento, a comunicação e controlo do stress e partilha de atividades). Para além disso, com as análises de regressão múltipla verificamos que a parentalidade positiva é o resultado da interação entre as características da criança, da mãe e do contexto corroborando os aspetos teóricos defendidos pelo Modelo da Ecologia Parental (Rodrigo, Máiquez, Martín, & Rodríguez, 2015) e dos aspetos psicossociais que influem na qualidade dos cuidados, educação e desenvolvimento da criança. Os resultados são discutidos tendo em conta a sua importância na criação de medidas interventivas capazes de responder às necessidades identificadas, melhorar os serviços oferecidos pelos CSP e promover o apoio à parentalidade na perspetiva do universalismo progressivo.
There is the increasing recognition that positive relationships between parents and their offsprings have an impact in children’s development and well-being, and to the promotion of a healthy family environment. As a consequence, several theoretical perspectives and international recommendations emphasize the importance of developing services and preventive measures which promote positive parenting in the community where families live. Families, parents and children have specific developmental needs which are important to identify, in order to implement the most effective services. Among the current community support services, Primary Health Care, whose predominant mission is centred on primary intervention, gather a set of characteristics which rends them nearer to families. Given the universal and non-stigmatizing character of the Public Health Care, it is crucial to gather evidence based on practices that will assist these services in supporting parents with the challenges they face with parenthood. Hence, the present research aimed at: 1) understanding the perceptions of both parents and health care professionals regarding supporting needs in positive parenting; 2) examining how familial ecology (characteristics of the parental figures, of children and context) influence the parenting dimension (affect and recognition, family involvement, communication and control of stress and sharing activities); 3) performing the study of the psychometric proprieties of the Positive Parenting Scale (Suárez, Byrne, & Rodrigo, 2016). The sample gathered 646 parents (n=30 fathers) and mothers of children aged between 3 months and 6 years old and a group of 41 professionals. Measures were obtained about their perspective on parenting, the informal and formal supports available and their children’s developmental characteristics. In addition, 41 health professionals working in different health centre and unites, provided their perceptions concerning the type of support available to parents. Findings provide evidence about the dimensions of the Positive Parenting Scale (Suárez, Byrne, & Rodrigo, 2016), its psychometric validity and consistency, suggesting the usefulness of this measure to the study of positive parenting and its potential for the assessment of psychoeducational parenting programs in Portugal. To this end, we further identify that children´s age, mother´s age and level of education and the local where family lives are variables that constrain the positive exercise of parental role. These challenges are reflected in the results obtained in the analysis of formal and non-formal supports, reflecting the existence of different needs that include preventive issues as promotion of positive family environment, daily care and elements which help parents in education and development of their children and the prevention of that may be related with socioeconomic vulnerability. In addition, it was verified that both, parents and health professionals share the perception that psychosocial aspects inherent to parenting are still poorly considered in the health context. Furthermore, the multiple regression analysis shows that positive parenting behaviours are related to the interaction between children and mother’s characteristics and the support available to families in their community, corroborating the Ecological Model of Parenting (Rodrigo, Máiquez, Martín, & Rodríguez, 2015). The results emphasize the importance of creating services capable of responding to the identified needs of the families in the community, to enhance the services offered by the Primary Health Care and provide support to parent’s in accordance to the progressive universalism perspective.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de Doutoramento em Estudos da Criança (Área de Especialização em Psicologia do Desenvolvimento e da Educação)
URIhttps://hdl.handle.net/1822/66109
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
CIEC - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Silvana Peixoto Martins.pdf7,32 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID