Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/54826

TitleGametophytic self-incompatibility in eudicots
Author(s)Teixeira, Vanessa Maria Alves
Advisor(s)Vieira, Cristina
Sampaio, Paula
KeywordsGametophytic self-incompatibility
S-RNase
SFB
SFBB
S-locus
T2-RNase
Fragaria
Rosa
Rubus
Rosaceae
Trifolium
Fabaceae
Autoincompatibilidade gametofítica
Issue date2017
Abstract(s)The S-RNase based gametophytic self-incompatibility (GSI) system is a genetic mechanism present in Solanaceae, Plantaginaceae, Rosaceae, and Rubiaceae, that prevents self-fertilization. This system emerged before the split between Asteridae and Rosidae, about 120 million years ago (MYa), and thus, it is expected to be present in many self-incompatible (SI) species belonging to these subclasses. Although the system is ancestral, within the Rosaceae family, there is evidence for convergent evolution. Namely, Malus and Prunus S-RNase and S-pollen genes belong to distinct gene lineages. Furthermore, in Fragaria lineage (that is ancestral to Malus and Prunus) there is evidence for the presence of the Prunus S-RNase and S-haplotype specific F-box (SFB) lineage only. To understand the ancestral Rosaceae S-locus region, putative T2-RNases were characterized from Rosa (Roseae) and Rubus (Rubeae) genomes. Phylogenetic analyses were performed to identify putative S-locus genes. Such data is fundamental to perform segregation experiments, that are crucial to find the functional S-RNase gene. To explore the hypothesis that different S-RNase lineage genes can be recruited for GSI, as observed in Rosaceae, we also characterized Fabaceae S-RNase lineage genes, in order to identify the functional S-RNase gene. Fabaceae is a Rosidae, and SI species, such as Trifolium pratense, are expect to present S-RNase based GSI. Phylogenetic analyses of S-RNase lineage genes in five Fabaceae genomes, including one from T. pratense (Tatra cultivar), revealed 14 of these genes. Those genes that cluster with Prunus and Malus S-RNases present levels of diversity and expression that are incompatible with their involvement in GSI specificity determination. In this work we annotated the S-RNase lineage genes from the genome of T. pratense Milvus B cultivar, that has been assembled into chromosomes. Levels of diversity and expression analyses were performed for T. pratense T2-RNase lineage genes, in order to address their involvement in GSI specificity determination.
O sistema de autoincompatibilidade gametofítica (AIG) mediado por S-RNases é um mecanismo genético presente nas famílias Solanaceae, Plantaginaceae, Rosaceae e Rubiaceae, que previne a autofecundação. Este sistema surgiu antes da divisão entre Asteridae e Rosidae, há cerca de 120 milhões de anos, sendo esperado que este esteja presente na maioria das espécies autoincompatíveis (AI) destas subclasses. Embora o sistema seja ancestral, há evidências para evolução convergente na família Rosaceae. Nomeadamente, os genes das S-RNases e dos S-pólen dos géneros Malus e Prunus que pertencem a linhagens distintas. Além disso, na linhagem de Fragaria (que é ancestral a Malus e Prunus) há evidência, unicamente, para a presença dos genes S-RNase e S-haplotype specific F-box (SFB) da linhagem de Prunus. Para compreender a região ancestral do S-locus em Rosaceae, genes T2-RNases putativos foram caracterizados nos genomas de Rosa (Roseae) e Rubus (Rubeae). Foram realizadas análises filogenéticas de forma a se identificar os genes putativos do S-locus. Estes dados são fundamentais para a realização de experiências de segregação, as quais são cruciais para a descoberta do gene S-RNase funcional. Explorando a hipótese que diferentes linhagens do gene S-RNase podem ser recrutadas para AIG, como observado em Rosaceae, nós caracterizamos, também, genes da linhagem das SRNases na família Fabaceae, de forma a identificar o gene S-RNase funcional. Fabaceae é uma Rosidae, e em espécies AI, como Trifolium pratense, é esperada a existência de AIG mediada por S-RNases. Análises filogenéticas de linhagens de genes S-RNase em cinco genomas de espécies da família Fabaceae, incluindo um de T. pratense (cultivar Tatra), revelaram 14 destes genes. Os genes que se agrupam com os genes S-RNase de Prunus e Malus apresentam níveis de polimorfismo e padrões de expressão incompatíveis com o envolvimento na determinação da especificidade na AIG. Neste trabalho, caracterizamos os genes da linhagem S-RNase do genoma de T. pratense do cultivar Milvus B, o qual foi organizado em cromossomas. Níveis de polimorfismo e análises de expressão foram realizadas para os genes de T. pratense da linhagem das T2- RNases, de forma a verificar o seu envolvimento na determinação da especificidade da AIG.
TypemasterThesis
DescriptionDissertação de mestrado em Genética Molecular
URIhttp://hdl.handle.net/1822/54826
AccessrestrictedAccess
Appears in Collections:DBio - Dissertações de Mestrado/Master Theses
BUM - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Vanessa Maria Alves Teixeira.pdf3,5 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy!

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis