Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/53932

TitleInfluence of self-esteem and emotion regulation in subjective and psychological well-being of adolescents: contributions to clinical psychology
Other titlesInfluência da autoestima, da regulação emocional e do gênero no bem-estar subjetivo e psicológico de adolescentes
Author(s)Freire, Teresa
Tavares, Dionisia
KeywordsWell-being
happiness
self-esteem
emotion regulation
adolescence
Bem-estar
felicidade
autoestima
regulação emocional
adolescência
Issue date2011
PublisherUniversidade de São Paulo. Instituito de Psiquiatria
JournalRevista de Psiquiatria Clínica
Abstract(s)Background: Scientific literature has shown that self-esteem and emotion regulation are related to various psychopatological disorders, although, few studies have investigated the influence of these variables in well-being. Objectives: The aim of this study is to analyze the relations of these variables with subjective well-being (life satisfaction) and psychological well-being (happiness and meaning). It also wants to investigate the predictive value of gender, self-esteem and emotion regulation strategies (suppression and cognitive reavaluation) on the different components of well-being. Method: A normative sample of 216 adolescents, from both sexes, has answered four instruments that evaluated self-esteem, the emotion regulation capacity, subjective and psychological well-being. Results: Suppression has correlated negatively with all the measures of well-being meanwhile cognitive reavaluation has correlated positively and more strongly with levels of happiness. Self-esteem had showed a strong and positive relation with life satisfaction and a higher predictive value of well-being than emotion regulation strategies. Discussion: Self-esteem has revealed being an important variable in the promotion of adolescent well-being, assuming a primary role in the field of a more positive and preventive clinical practice.
Introdução: A literatura científica tem evidenciado que a autoestima e a capacidade de regulação emocional estão presentes em vários quadros psicopatológicos, contudo a influência dessas variáveis no bem-estar tem sido pouco estudada teórica e empiricamente. Objetivos: Pretende-se analisar a relação dessas variáveis com o bem-estar subjetivo (satisfação com a vida) e com o bem-estar psicológico (felicidade e significado). Pretende-se, ainda, verificar a capacidade de predição do gênero, da autoestima e das estratégias de regulação emocional (supressão emocional e reavaliação cognitiva) nos diferentes componentes do bem-estar. Método: Participaram do estudo 216 adolescentes de uma população normativa de ambos os sexos. Foram administrados, a todos os participantes, quatro instrumentos para avaliar a autoestima, a capacidade de regulação emocional, o bem-estar subjetivo e psicológico. Resultados: A supressão emocional correlacionou-se negativamente com todas as medidas de bem-estar, enquanto a reavaliação cognitiva evidenciou correlação positiva mais significativa com os níveis de felicidade. A autoestima revelou correlação positiva forte com a satisfação com a vida e maior capacidade de predição do bem-estar do que as estratégias de regulação emocional. Conclusão: A autoestima revela ser uma variável importante na promoção do bem-estar dos adolescentes, assumindo-se como elemento fundamental numa intervenção clínica positiva e preventiva.
TypeArticle
URIhttps://hdl.handle.net/1822/53932
DOI10.1590/S0101-60832011000500003
ISSN0101-6083
Peer-Reviewedyes
AccessRestricted access (UMinho)
Appears in Collections:CIPsi - Artigos (Papers)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
a03v38n5.pdf
  Restricted access
129,41 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID