Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/30261

TítuloCrescimento do globo ocular em crianças dos 6 aos 9 anos
Autor(es)Silva, Conceição do Céu Cardoso da
Orientador(es)González-Méijome, José Manuel
Jorge, Jorge
Data2014
Resumo(s)Objetivos: Avaliar as alterações ocorridas no globo ocular de crianças que frequentam o ensino primário, de uma população portuguesa, sendo avaliadas principalmente a variação do erro refrativo central e do comprimento axial. Relacionar as horas de estudo e em atividades ao ar livre com as alterações encontradas. Métodos: Foi avaliado o olho esquerdo de 84 crianças em idade escolar, dos 6 aos 9 anos, através das medidas da refração central, refração periférica temporal e superior, comprimento axial, raio de curvatura corneal e foria em visão de perto. Os valores de refração foram obtidos através de refração objetiva, sem cicloplégico, com utilização do autorrefratómetro portátil PlusOptix (GmbH, Nuremberg, Germany), o comprimento axial e raio de curvatura foram avaliados através de um sistema de interferometria de coerência ótica parcial - IOL Master (Carl Zeiss, Germany) e a medida da foria com Asa de Maddox. Para as medidas de refração foram considerados os componentes vetoriais do erro refrativo M, J0 e J45. As avaliações foram realizadas em duas fases distintas, no Inverno e Primavera. Foi realizado um inquérito aos encarregados de educação das crianças em estudo, de forma a conhecer o tempo passado a estudar e em atividades ao ar livre. Resultados: Na amostra em estudo foi encontrada uma prevalência de miopia de 7,1%, emetropia de 50% e hipermetropia de 42,9%. A média do equivalente esférico do erro refrativo central foi de 0,46±0,98D e o valor médio do comprimento axial de 22,79±0,77mm, no Inverno. Foi encontrada um valor médio de M hipermetrópico na retina temporal (0,23±1,08D) e miópico na retina superior (-0,99±1,40D), e verificou-se que existe um deslocamento miópico da retina central para a retina temporal e para a retina superior. Num período de 4 meses, ocorreu um aumento na prevalência de emetropes (67,9%) e uma diminuição na prevalência de míopes e hipermetropes (4,8% e 27,4%, respetivamente). A média do equivalente esférico do erro refrativo central sofreu uma alteração de -0,22±0,41D (p<0,01) e o valor médio do comprimento axial sofreu um aumento de 0,05±0,13mm (p<0,01), o que evidencia uma tendência miópica no crescimento do ocular desta amostra. Verificou-se a existência de uma correlação estatisticamente significativa entre as horas passadas a estudar e as variações ocorridas no comprimento axial e no erro refrativo. Conclusões: O estudo desta amostra permitiu verificar que a prevalência dos erros refrativos alterou num curto período de tempo. As alterações ocorridas no valor médio do erro refrativo no sentido miópico e o aumento do valor médio do comprimento axial podem evidenciar o processo de emetropização a que o globo ocular ainda se encontra nestas idades. Para além disso as correlações encontradas entre a variação do erro refrativo e a variação do comprimento axial com as horas de estudo também podem ser um indicador da evolução do crescimento ocular destas crianças.
Objectives: To evaluate the changes in the eye of a Portuguese population of children attending primary school, by measuring the changes in the central refractive error and axial length. To relate the hours of study and time spent in outdoor activities with alterations found. Methods: Left eyes of 84 schoolchildren, aged 6 to 9 years, were assessed by measures of central refraction, peripheral temporal and superior refraction, axial length, corneal radius of curvature and phoria at near vision. The values of refraction were obtained by objective refraction without cycloplegia, using autorefractometer PlusOptix (GmbH, Nuremberg, Germany), axial length and radius of curvature were evaluated through a system of partial optical coherence interferometry - IOL Master (Carl Zeiss , Germany) and measurement of phoria with the Maddox Wing . For the measurements of refraction were considered the vector components of refractive error M, J0 and J45. The evaluations were conducted in two phases, being it in winter and spring. There was also done a survey to the parents in order to know the time that their children spent in studying and in outdoor activities. Results: In this study sample, there was found a prevalence of myopia of 7.1%, 50.0% of emmetropia and 42.9% of hyperopia. The mean spherical equivalent (M) of the central refractive error was 0.46±0.98 D and the mean axial length of 22.79±0.77 mm in winter. There was found an average hyperopic value of M in the temporal retina (0.23±1.08D) and myopic in the upper retina (-0.99±1.40D) and it was found that there is a myopic displacement of the central retina to the temporal and the upper retina. In a 4 months period, there was observed an increase in the prevalence of emmetropic eyes (67.9%) and a decrease in the prevalence of myopic and hyperopic (4.8% and 27.4%, respectively). The mean spherical equivalent refractive error of the center has undergone a change of -0.22±0.41D (p<0.01) and the average axial length increased by 0.05±0.13 mm (p<0.01), which shows a myopic eye growth trend in this sample. It was found that there was a statistically significant correlation between the hours spent studying and the variations in axial length and refractive error.Conclusions: The study of this sample has shown that the prevalence of refractive errors has changed in a short period of time. The changes in the average value of the refractive error in the myopic direction and the increase in the average value of the axial length show the process of emmetropization that the eyeball is still undergoing at this age. Also, the correlations between the change in refractive error and the variation of axial length with the hours spent studying can also be an indicator of the evolution of ocular growth of these children.
TipomasterThesis
DescriçãoDissertação de mestrado em Optometria Avançada
URIhttp://hdl.handle.net/1822/30261
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:BUM - Dissertações de Mestrado
CDF - OCV - Dissertações de Mestrado/Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Conceição do Céu Cardoso da Silva.pdf4,66 MBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis