Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/64766

TitleA ocupação tardo antiga da área do teatro de Bracara Augusta
Author(s)Martins, Manuela
Ribeiro, Jorge
Martinéz Peñin, Raquel
Magalhães, Fernanda
KeywordsOcupaçãio Tardo antiga
Teatro de Baracara Augusta
Issue date2018
PublisherDeputación Provincial de Ourense
Abstract(s)As investigações arqueológicas realizadas na área do teatro romano de Braga, a partir de 2004, permitiram documentar um conjunto de estruturas e níveis de ocupação que podem ser datados entre os séculos V e VII, assinalando a reutilização de algumas áreas do edifício e respetiva envolvente, posteriormente à sua desafetação como espaço de espetáculos (et al., 2015). Estamos perante uma clara evidência dos complexos processos de alteração urbanística e arquitetónica que afetaram as cidades romanas da Hispânia, no período tardo antigo, associados à diminuição do seu papel político e lúdico e à sua progressiva cristianização, circunstâncias que determinaram a reutilização e reconfiguração dos anteriores espaços e edifícios públicos, característicos da cidade romana clássica, como sejam foros, termas, teatros e anfiteatros (Kulinowsky, 2004). Em Braga, esse processo de mudança foi apenas reconhecido, até ao momento, no setor poente da cidade romana, mais concretamente na Colina do Alto da Cividade, onde, nos inícios do século II, foi construído um teatro, desafetado no século IV e umas termas públicas, que deixaram de ser utilizadas nos inícios do século V (Martins, 2005). Ambos edifícios públicos ocupavam uma área privilegiado da cidade romana, situando-se a poente do forum, tendo a sua construção implicado o arrasamento de construções anteriores, datadas do século I e determinado uma profunda transformação urbanística deste setor da cidade, uma vez que exigiu a desafetação de quatro eixos viários (Martins et al., 2013). O fim do ciclo de vida dos dois edifícios, entre os séculos IV/V, determinou a instalação neste setor da cidade de construções de cariz diverso, que evidenciam novos usos privados de um anterior espaço público e novas práticas construtivas. Por outro lado, a desafetação e parcial desmontagem do teatro, bem como o abandono das termas públicas anexas, converteram este setor monumental da antiga cidade romana numa área periférica, onde paulatinamente se foram fixando construções de carácter residencial e artesanal, que reaproveitaram e parasitaram as anteriores estruturas romanas. Até ao momento foram identificadas neste setor da cidade três unidades construídas com cronologia tardo-antiga (Fig. 1). Uma delas localiza-se no parascaenium norte do teatro (UC1), implantando-se as outras duas (UC2 e UC3) na área situada a nordeste do muro perimetral do edifício, na plataforma superior norte. Detetadas em 2006, as referidas estruturas têm vindo a ser intervencionada
TypeBook part
URIhttp://hdl.handle.net/1822/64766
ISSN978-84-16643-18-9
AccessOpen access
Appears in Collections:Lab2PT - Capítulos de Livros/Book Chapters
Lab2PT - Capítulos de Livros/Book Chapters
UAUM - Capítulos de livros

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Teatro.pdf437,39 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID