Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/6282

TitleAptidão física e composição corporal : estudo em raparigas dos 11 aos 15, praticantes e não praticantes de futsal
Author(s)Trigo, Maria Manuela do Paço
Advisor(s)Pereira, Beatriz Oliveira
Mota, Jorge
KeywordsAptidão física
Composição corporal
Futsal
Fitnessgram
Escola
Desporto escolar
Feminino
Physical ability
Body composition
Footsal
School
School sport
Female
Issue date19-Jun-2006
Abstract(s)O presente estudo tem como objectivo principal conhecer e avaliar a Aptidão Física e a Composição Corporal de raparigas em idade escolar praticantes de Futsal do Desporto Escolar, comparando-as com um grupo que não pratica nenhuma actividade desportiva de forma regular e sistemática, a não ser as aulas de Educação Física. Os resultados foram ainda comparados com os valores de referência estabelecidos pelo Fitnessgram. Foram seleccionadas 80 raparigas da Escola E.B. 2, 3 Professor Carlos Teixeira, sendo 40 Praticantes Futsal de Desporto Escolar e 40 Não Praticantes, com idades compreendidas entre os 11 e os 15 anos de idade. O grupo de Praticantes de Futsal de Desporto Escolar foi constituído por raparigas que praticassem Futsal pelo menos desde o início do ano lectivo, com dois treinos por semana com a duração de 90 minutos e jogo ao fim-de-semana de 60 minutos, além das aulas de Educação Física (90 minutos + 45 minutos). O grupo de Não Praticantes foi constituído pelas raparigas cuja actividade física/desportiva se reportasse exclusivamente às aulas de Educação Física (90 minutos + 45 minutos). Para a avaliação da actividade física foi aplicado o questionário Internacional de Actividade Física (Heyward, 1997). As raparigas em estudo realizaram a bateria de testes do Fitnessgram, para avaliar a Aptidão Física (Corrida da Milha; Abdominais; Extensão dos Braços; Extensão do Tronco e Senta e Alcança) e a Composição Corporal (Estatura; Peso; Medição das Pregas adiposas; Índice de Massa Corporal e % de Massa Gorda). Quanto ao tratamento estatístico dos dados, foram calculados as médias, o desvio padrão, a amplitude de variação e foi usado o teste "t" de Student para medidas independentes, cujo nível de significância estatística foi mantido em 5%. Para a análise dos dados foi utilizado o software Microsoft Excel. As principais conclusões obtidas nesta pesquisa foram as seguintes: há diferenças significativas entre as Praticantes de Futsal e as Não Praticantes, no que diz respeito a peso, IMC, % Massa gorda, pregas tricipital e geminal, capacidade aeróbia, força média, extensão do tronco e senta e alcança. Relativamente à idade, estatura e força superior não se verificaram diferenças estatisticamente significativas. Relativamente aos valores critérios do Fitnessgram verificou-se que, em relação ao total da amostra, na Composição Corporal a maior percentagem de raparigas encontram-se dentro da Zona Saudável, com 87,5% na %Massa Gorda e 82,5% no IMC. No que diz respeito à Aptidão Física constatou-se que no teste da milha (capacidade aeróbica), na força média e na extensão do tronco estas alunas encontram-se dentro do intervalo de Zona Saudável, mas na força superior e na flexibilidade encontram-se fora desse intervalo, estando no intervalo Abaixo da Zona Saudável. Em relação aos resultados das raparigas Praticantes de Futsal e das Não Praticantes, através dos valores estabelecidos pelo Fitnessgram, verificou-se que na Composição Corporal, tanto o grupo das Praticantes como o grupo das Não Praticantes apresentam a maior percentagem dentro do intervalo da Zona Saudável. No que concerne à Aptidão Física as Praticantes apresentaram maiores percentagens dentro do intervalo da Zona Saudável para todos os testes realizados, com a excepção da Força Superior, onde obtiveram maiores percentagens no intervalo abaixo da Zona Saudável. As Não Praticantes apenas obtiveram percentagens no intervalo da Zona Saudável nos testes de Capacidade Aeróbica e de Extensão do Tronco. Através desta análise, podemos concluir que as Praticantes obtiveram, em todos os testes de Fitnessgram realizados, valores superiores, no intervalo de Zona Saudável, aos valores alcançados pelas Não Praticantes.
The purpose of this study is to investigate and evaluate the Physical fitness and body composition of school girls aged 11-15, practising Footsal, comparing them to the ones who are physically inactive, except for the Physical Education classes. The results were also compared to the standard levels established by the Fitnessgram. The subjects of the study consisted of 80 girls - aged 11-15. Forty of them practise Footsal, and the other forty do not. The Footsal group is formed by girls who practise it at least since the beginning of the school year. Besides the Physical Education classes (90minutes + 45 minutes), they practise Footsal twice a week for 90 minutes, and play a 60 minutes match on the weekends. The group of girls who do not practise Footsal was formed by physically inactive girls, except for the Physical Education classes (90minutes + 45 minutes). The physical activity of the sample was accessed with the International Physical Activity Questionnaire (Heyward, 1997). Their physical ability was measured according to the recommendations of the Fitnessgram assessment, by evaluating their Aerobic Capacity (Mile Walk), Muscle Strength, Endurance, and Flexibility – abdominal (curl-up), trunk extension (trunk lift), upper body (push-up) and Flexibility (back-saver Sit and Reach) -, and their body composition (Percent Body Fat - calculated from triceps and calf skinfold measurements - and Body Mass Index - calculated from height and weight). Microsoft Excel was used to calculate and analyse the data; the t-test was used to test independent measurements and its statistical significance was set at 5%. We conclude that, considering weight, Body Mass Index, Percent Body Fat, aerobic capacity, muscle strength, trunk extension and flexibility (back-saver Sit and Reach), there are significant differences between the girls who practise Footsal and the ones who do not. In what concerns to age, physical structure and upper body strength, there were not significant differences. We also found that, according to the health fitness standards, established by Fitnessgram, the majority of girls is in the Healthy Fitness Zone, with 87,5% of percent Body Fat, and 82,5% of Body Mass Index. In what concerns to Physical Ability, we reached the conclusion that in the Aerobic Capacity test (Mile Walk), Muscle Strength and trunk extension these students are also in the Healthy Fitness Zone, but concerning the upper body and Flexibility, they are out of this zone. Considering the results of the girls who practise Footsal and the results of the girls who do not practise any other physical activity besides their Physical Education classes, we conclude that in the tests of body composition both of the groups present a higher percentage of girls in the Healthy Fitness Zone. However, the group that practises Footsal presents a higher percentage in the Healthy Fitness Zone in all the other tests, except for upper body (push-up) test, in which they got a result under the Healthy Fitness Zone. The girls of the group who do not practises Footsal only achieved percentages in the Healthy Fitness Zone in the Aerobic Capacity (Mile Walk) and trunk extension (trunk lift). Therefore, we conclude that, in every test made, all the girls who practise Footsal achieved higher levels in the Healthy Fitness Zone than the girls who do not practise Footsal or any other physical activity, except for their Physical Education classes.
TypemasterThesis
URIhttp://hdl.handle.net/1822/6282
AccessopenAccess
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado
DEAEF - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese de Mestrado - Manuela Trigo.pdf927,17 kBAdobe PDFView/Open
Capa.pdf180,51 kBAdobe PDFView/Open
FolhadeRosto.pdf181,25 kBAdobe PDFView/Open
Declaração.pdf13,56 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis