Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/54834

TitleExpression of megalin in the central nervous system
Author(s)Gomes, Joana dos Santos Peixoto
Advisor(s)Saraiva, Maria João
Paiva, Sandra
KeywordsMegalin
Heat shock factor-1
Retrosplenial area
Oxidative diet
Megalina
Fator de choque térmico 1
Área retrosplenial
Dieta oxidativa
Issue date2017
Abstract(s)The incidence of neurodegenerative diseases is increasing today, so there is an increasing interest and need to better understand the mechanisms involved. Transthyretin (TTR) is a protein that has several physiological functions, being highly involved in the homeostasis of the nervous system. Changes in TTR expression levels are associated with several neurodegenerative pathologies. In addition, TTR plays a crucial role in the preservation and survival of neurons since its internalization through the action of megalin, activates several signalling mechanisms. Megalin has been extensively studied over the years; changes in the levels of this protein are also associated with neurodegenerative pathologies, thus functioning as a biomarker. Furthermore, TTR is regulated by heat shock factor 1 (HSF-1). HSF-1 acts in response to thermal shock, as well as to environmental stress (including ROS presence) and in pathological conditions such as protein misfolding, thus being associated with neuronal stress conditions. Thus, one of the aims of this work was to produce an antibody specific for soluble non membranar megalin and to characterize it so that one could quantify the levels of megalin in mice samples. The anti-megalin antibody was characterized by immunohistochemistry (IHC), by enzymelinked immunosorbent assays (ELISA) and Western blot; it was used to study megalin expression in the brain of wild-type (WT), TTR-knockout (TTR-KO) and HSF-1-deficient mice (with and without TTR), with and without an oxidative diet. The results show that megalin is expressed in the brain, especially in the retrosplenial area of the cortex. Additionally, WT animals present higher levels of megalin in this region than other stains, namely TTR-KOs and HSF-1-deficients. Furthermore, untreated animals presented higher levels of megalin expression in comparison to treated animals. The results suggest that i) the oxidative diet has an impact on the expression of megalin and ii) TTR influences the expression of megalin. The implication of megalin expression and its modulation in the retrosplenial area of the cortex deserves further investigation.
A incidência das doenças neurodegenerativas é cada vez mais elevada nos dias de hoje, pelo que cada vez é maior o interesse e a necessidade de se compreender melhor os mecanismos envolventes. A transtirretina (TTR) é uma proteína que apresenta diversas funções fisiológicas, estando altamente envolvida na homeostasia do sistema nervoso. Alterações nos níveis de expressão de TTR estão associadas a diversas patologias neurodegenerativas. Além disso, a TTR desempenha um papel crucial na preservação e sobrevivência dos neurônios uma vez que a sua internalização pela ação da megalina, ativa mecanismos de sinalização. A megalina tem sido um alvo de estudo uma vez que alterações nos níveis desta estão também associadas a patologias neurodegenerativas, funcionando por isso como um biomarcador. A TTR é também regulada pelo fator de transcrição de choque térmico 1 (HSF-1). HSF-1 para além de atuar na resposta ao choque térmico, atua como resposta ao stress (como na presença de espécies reativas de oxigénio) e em condições patológicas como no mau-enrolamento de proteínas, estando associado a condições de stress neuronal. Desta forma, um dos objetivos deste trabalho foi produzir um anticorpo específico para a megalina solúvel e caraterizá-lo para que com ele se pudesse analisar os níveis de megalina em amostras de ratinho. A caraterização do anticorpo foi feita por estudos de imunohistoquímica, por ensaios de imunoabsorção enzimática e Western blot. A expressão da megalina foi estuda em grupos de animais com TTR (WT), sem TTR (TTR-KO) e animais com ausência de HSF-1 (com e sem TTR), na presença e ausência de uma dieta oxidativa. Os resultados obtidos mostram que a megalina é expressa no cérebro nomeadamente na área retrosplenial do córtex. Além disso, verificou-se que os animais WT apresentam níveis mais altos de megalina nesta zona do córtex do que as outras estirpes, nomeadamente em animais com ausência de TTR e com falta de HSF-1 (quer com e sem TTR). Verificou-se também que os animais sujeitos à dieta apresentam menor expressão de megalina que os animais sem sujeitos à dieta. Os resultados sugerem que: i) a dieta oxidativa tem impacto na expressão de megalina e ii) a TTR influencia a expressão de megalina. Estudos sobre a interferência da expressão de megalina e a sua modulação na área retrosplenial do córtex devem ser desenvolvidos.
TypemasterThesis
DescriptionDissertação de mestrado em Bioquímica Aplicada
URIhttp://hdl.handle.net/1822/54834
AccessembargoedAccess (3 Years)
Appears in Collections:DBio - Dissertações de Mestrado/Master Theses
CDQuim - Dissertações de Mestrado
BUM - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MBA_PG28789_Tese_2016_2017.pdf5,42 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy!

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis