Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/4917

TítuloA educação libertária segundo Aurélio Quintanilha
Autor(es)Gomes, Amélia Filomena de Castro
Orientador(es)Cunha, Norberto
Data2005
Resumo(s)Esta tese incide sobre Aurélio Quintanilha, um dos muitos cientistas e investigadores portugueses, cujas ideias educativas e pedagógicas são, praticamente, desconhecidas, na comunidade académica do nosso país. Foi, também, um dos muitos funcionários públicos aposentado, compulsivamente, pelo Governo de Salazar, ao ser considerado opositor aos princípios fundamentais da Constituição Política. Era, na altura, professor catedrático da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra. Pretende esta tese relevar o quão marcante foi o seu trajecto como pedagogo libertário, destacando aquele que foi sempre o seu lema: ser professor. Para isso recorreu-se a pedagogos tidos como autoridades nesta matéria para ajudar a perceber a emergência do ideal libertário durante a segunda metade do século XIX e, por outro lado, reforçar e consolidar a influência anarquista em Aurélio Quintanilha, assim como o seu perfil libertário patente na sua principal obra Educação de Hoje, Educação de Amanhã (1921), analisaram-se alguns modelos educativos que influenciaram, directamente, a sua metodologia, a relação professor – aluno e, principalmente a estrutura e dinâmica de um processo de ensino que apostava numa escola que despoletava as capacidades cognitivas do aluno, reiterando a necessidade, por razões pedagógicas e sociais, duma educação profissional proporcionadora de uma profissão útil. Salienta-se, também, que à educação libertária proposta por Aurélio Quintanilha, não lhe interessava um ensino livresco, de conhecimentos abstractos, mas sim a consecução de um desenvolvimento harmónico de todas as faculdades da criança assim como da sua saúde, e a aquisição de uma liberdade interior que se convertesse para o cidadão numa realidade permanente. Todo este processo de aprendizagem devia ter em conta a actividade pessoal da criança e os seus interesses espontâneos, assim como a formação da consciência moral e da razão prática do estudante, desenvolvendo-se num ambiente onde imperassem os direitos e os deveres cívicos. Isto é, na proposta de uma pedagogia libertária, todos os actos individuais deviam contribuir para o bem estar colectivo, ou seja, deviam harmonizar o ideal de perfeição de cada um com o ideal de perfeição e de bem estar social. Esta tese pretende assim, recorrendo ao pensamento de vários anarquistas, fundamentar o ideário libertário de Aurélio Quintanilha na sua proposta de reforma pedagógica, ensino este que promovia a actividade espontânea da criança, procurando formar cidadãos responsáveis dos seus direitos e deveres.
This thesis is about Aurélio Quintanilha, a professor from the Faculty of Science of the University of Coimbra, one of the many Portuguese pedagogues and researchers, practically unknown to the academic panorama of our country. He was also, one among many civil servants compulsory pensioned off by Salazar’s government, being considered an opponent to the fundamental principals of the Political Constitution of that time. This thesis intends to reveal how remarkable his course as libertarian pedagogue was, highlighting his life long motto: To be a teacher. In order to achieve this, we had recourse to pedagogues, who are considered to be experts in this matter so that, on one hand, help us understand the emergence of the libertarian ideal during the second half of the nineteenth century and, on the other hand, to reinforce and consolidate the anarchist influence on the pedagogue Aurélio Quintanilha, as to show the evident libertarian profile of his major writing Educação de Hoje, Educação de Amanhã. Some educational models were analysed, which directly influenced the methodology, the relationship teacher – pupil and, mainly, the structure and dynamics of a teaching process that pledged on a school that awakened the pupil’s cognitive capacities, reiterating the necessity, for pedagogical and social reasons, of a professional education favouring a useful occupation. It is also pointed out that the libertarian education proposed by Aurélio Quintanilha was not interested in a bookish teaching, of abstract knowledge, but in the attainment of a harmonious development of all the child’s capacities, as of its health, and in the acquisition of an inner liberty that would turn into a permanent reality for the citizen. All this learning process should take into account the personal activity of the child and its spontaneous interests, as the formation of a moral conscience and of the practical reasoning of the student, developing itself in an ambiance in which civic rights and duties prevailed. That is, in the proposal of a libertarian pedagogy, all individual actions should contribute to the collective well-being, in other words, each one’s ideal of perfection should be harmonious with the social ideal of perfection and of well-being. Thus, this thesis intends, having recourse to the thinking of several anarchists, to establish the libertarian concepts of Aurélio Quintanilha’s proposal of a pedagogical reform, which advised a teaching promoting the spontaneous activity of the child, trying to form responsible citizens, aware of their rights and duties.
TipomasterThesis
DescriçãoDissertação de mestrado em Educação, área de Especialização em Filosofia da Educação.
URIhttp://hdl.handle.net/1822/4917
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:BUM - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
A Educação Libertária segundo Aurélio Quintanilha.pdf513,4 kBAdobe PDFVer/Abrir
Abstract-tese-2005.pdf14,67 kBAdobe PDFVer/Abrir
CAPA.TESE.2005.pdf10,44 kBAdobe PDFVer/Abrir
Resumo-tese-2005.pdf14,28 kBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis