Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/46734

TitleComparative study of the opportunistic yeasts Candida glabrata and Candida bracarensis infection strategies
Author(s)Lima, Tânia Isabel Pimenta
Advisor(s)Correia, Isabel Alexandra Duarte Ferreira Lopes
Pais, Célia
Issue date2015
Abstract(s)Yeasts of the genus Candida are important human pathogens. A new species, Candida bracarensis, was recently described revealing phenotypic and genetic similarities with Candida glabrata, a widespread pathogen, and also with Saccharomyces cerevisiae. The incidence of C. bracarensis has increased globally being now regarded as an emergent fungal pathogen. However, little is known about its characteristics as a pathogenic agent and the interaction with its host. The aim of this work was to compare C. bracarensis with C. glabrata and S. cerevisiae concerning their virulence atributes and the interaction with the host. The analysis of virulence factors has an important role in the study of pathogens and their strategies of infection. However, most of the virulence attributes of the successful pathogen C. albicans are absent in C. glabrata. Here, the inability of C. glabrata to produce secreted aspartyl proteinases (Sap) or hyphae was confirmed. Moreover, we show in this study that all C. bracarensis strains analysed failed to produce Sap and to filament. Phagocytosis plays a critical role in innate immunity, facilitating the removal and killing of pathogens, and priming the adaptive immune response. The phagocytosis rate of the different yeast species was evaluated in murine and human macrophages. C. glabrata was phagocytosed at higher rates than the other two yeast species, being S. cerevisiae the one inducing the lowest phagocytosis rate. Upon interaction with pathogens, phagocytes rapidly produce ROS to destroy invading microbes, however, several pathogens have developed strategies to evade this microcidal mechanism. Here, it is shown that not only viable C. glabrata and C. bracarensis could suppress ROS production, but unexpectedly, S. cerevisiae could reduce ROS production to more than a half. Although these results do not by themselves fully elucidate the disparate incidence of C. glabrata vs C. bracarensis, they nevertheless contribute to better understand the differences on the interaction of these two related species with the host.
As leveduras do género Candida são importantes agentes patogénicos em infeções fúngicas humanas. Recentemente foi descrita uma nova espécie, Candida bracarensis, que se assemelha tanto fenotípica como genotipicamente com Candida glabrata e também com Saccharomyces cerevisiae. A incidência desta nova espécie tem vindo a aumentar, estando entre os fungos considerados emergentes. Contudo, muito pouco se conhece acerca das suas características como patogéneo, dos seus fatores de virulência e sobre a sua interação com o hospedeiro. Assim, o objetivo deste projeto foi comparar C. bracarensis, C. glabrata e S. cerevisiae no que diz respeito aos mecanismos de interação com o hospedeiro. A análise dos fatores de virulência tem um papel importante no estudo de agentes patogênicos e das suas estratégias de infecção. No entanto, a maioria dos factores de virulência do agente oportunista bem sucedido C. albicans estão ausentes em C. glabrata. Neste estudo, confirmou-se a incapacidade de C. glabrata de produzir proteinases asparticas (Sap) ou hifas. Além disso, mostramos neste estudo que todas as estirpes de C. bracarensis analisadas não conseguiram produzir Sap nem filamentar. A fagocitose desempenha um papel crítico na imunidade inata, facilitando a remoção e morte de agentes patogênicos e estimulando a resposta imune adaptativa. A taxa de fagocitose das diferentes espécies de levedura foi avaliada em macrófagos murinos e macrófagos humanos. C. glabrata foi fagocitada a taxas superiores do que as outras duas espécies de leveduras, sendo S. cerevisiae o que induz a menor taxa de fagocitose. Após a interação com agentes patogênicos, os fagócitos produzem rapidamente ROS para destruir microrganismos invasores, no entanto, vários microrganismos desenvolveram estratégias para evitar esse mecanismo microbicida. Aqui, mostra-se que não só C. glabrata e C. bracarensis apresentam capacidade de suprimir a produção de ROS, mas, inesperadamente, S. cerevisiae consegue reduzir a produção de ROS para mais de metade. Ainda que estes resultados não expliquem por si só a disparidade encontrada na incidência de C. glabrata e C. bracarensis, contribuem no entanto para um melhor conhecimento da interação destas duas espécies com o hospedeiro.
TypemasterThesis
DescriptionDissertação de mestrado em Genética Molecular
URIhttp://hdl.handle.net/1822/46734
AccessopenAccess
Appears in Collections:DBio - Dissertações de Mestrado/Master Theses
BUM - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tania Isabel Pimenta Lima.pdf9,6 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis