Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/45288

TítuloPresença na Internet das Câmaras Municipais Portuguesas em 2012: Estudo sobre Local e-Government em Portugal
Autor(es)Soares, Delfina de Sá
Amaral, Luís
Ferreira, Luís Miguel
Leal, David
Palavras-chavee-Government
avaliação
benchmarking
ranking
local government
Data2014
EditoraUniversidade do Minho. Gávea - Laboratório de Estudo e Desenvolvimento da Sociedade da Informação
CitaçãoSoares, D., Amaral, L., Ferreira, L. e Leal, D. (2014). Presença na Internet das Câmaras Municipais Portuguesas em 2012: Estudo sobre Local e-Government em Portugal. Gávea – Laboratório de Estudo e Desenvolvimento da Sociedade da Informação. Universidade do Minho, Guimarães.
Resumo(s)Este documento reporta o resultado do estudo efetuado aos sítios Web das câmaras municipais portuguesas, realizado com o intuito de retratar o estado da modernização Web das câmaras municipais e do nível da sua relação eletrónica com os munícipes. Trata-se da sétima edição de um estudo bianual que é realizado desde 1999 pelo GÁVEA – Laboratório de Estudo e Desenvolvimento da Sociedade da informação, da Universidade do Minho. O período de recolha e avaliação a que se reporta este estudo teve lugar em finais de 2012 e início de 2013. O processo de recolha foi realizado por observação direta dos 304 sítios Web que se encontravam acessíveis para observação no período referido. Neste estudo, à semelhança da edição anterior, foram identificados endereços Web para as 308 câmaras municipais existentes. Além da observação direta dos sítios Web, para a avaliação do conjunto de critérios e indicadores, a recolha envolveu também o envio de mails para a câmara e para o presidente, vice-presidente e 1º vereador da oposição. Os dados recolhidos foram validados e tratados. Este tratamento envolveu a tradução de cada um dos resultados da observação direta dos sítios Web para um sistema numérico de pontuação, variando entre 0 e 1, e posterior aplicação do conjunto de pesos definidos de forma a produzir o score final do índice de presença na Internet para cada câmara municipal. O tratamento das respostas às mensagens de email enviadas envolveu a análise da data e hora de receção das mesmas, com o intuito de determinar o tempo que demorou a ser dada a resposta, bem como a sua tipificação em relação à qualidade da resposta fornecida, nomeadamente se a resposta dada era díspar do questionado, se, não sendo díspar, era inútil, ou se era útil. Os dados, devidamente tratados e valorados, são analisados neste relatório de acordo com diferentes perspetivas. Para além da produção e análise do ranking global de presença na Internet das câmaras, efetuam-se análises segmentadas por dimensão da câmara e por grandes zonas (Ilhas-Litoral-Interior), por regiões NUTS II e por distrito. Efetua-se ainda a análise dos sítios Web em função de quatro grandes critérios, nomeadamente: Critério 1 - Conteúdos: Tipo e Atualização; Critério 2 - Acessibilidade, Navegabilidade e Facilidade de Utilização dos sítios Web; Critério 3 - Serviços Online; e, por último, Critério 4 - Participação. O ranking global da presença na Internet das câmaras municipais, em 2012, apresenta como primeira classificada a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão. Em segundo lugar surge a Câmara Municipal de Pombal e, em terceiro lugar, a Câmara Municipal de Beja. No que concerne ao Critério 1 – “Conteúdos: Tipo e Atualização” – que estuda os conteúdos disponíveis nos sítios Web das câmaras municipais a dois níveis, nomeadamente, a existência de determinados conteúdos considerados importantes e a atualidade desses conteúdos, existe um empate pontual na 1ª posição, dado haver três câmaras que obtiveram igual valor, nomeadamente, e por ordem alfabética, a Câmara Municipal de Caminha, a Câmara Municipal da Nazaré e a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão. O segundo critério estuda a “Acessibilidade, Navegabilidade e Facilidade de Utilização” dos sítios Web das câmaras municipais. Através de treze indicadores são analisados vários aspetos relacionados com a qualidade da utilização dos sítios Web, nomeadamente o posicionamento nos motores e busca, se o tempo de carregamento da página é aceitável, se é acessível através de diferentes sistemas operativos, navegadores e dispositivos móveis. A acessibilidade para cidadãos com necessidades especiais, qualidade da navegação e existência de motor de busca interno são outros dos aspetos que se avaliam neste critério. Neste critério, como exemplo de melhores práticas, destaca-se na primeira posição a Câmara Municipal de Felgueiras seguida, em segundo lugar, pela Câmara Municipal de Moimenta da Beira. Dividem a terceira posição cinco câmaras municipais: a Câmara Municipal de Borba, a Câmara Municipal da Lourinhã, a Câmara Municipal de Lousada, Câmara Municipal de Matosinhos e a Câmara Municipal de Óbidos. O critério “Serviços Online” analisa os serviços que a câmara municipal disponibiliza ao cidadão através da Internet. Com este intuito, foram estudados alguns serviços camarários considerados representativos, nomeadamente: Autorização para inumação de cadáveres, Ocupação de espaço público  publicidade na via pública, Licenciamento para instalação de bomba de gasolina, Licenciamento de pequenas obras, Cartografia - requerer planta do PDM e Ocupação temporária de espaço público. Neste critério, e como exemplo de boas práticas, surgem, com a mesma pontuação, a Câmara Municipal de Almada e a Câmara Municipal de Mirandela. Na terceira posição posicionam-se também duas câmaras municipais: a Câmara Municipal de Beja e a Câmara Municipal de Pombal. O último critério apresentado é o que se dedica aos mecanismos de participação que as câmaras municipais disponibilizam ao cidadão, tendo sido avaliados seis indicadores: Canais de contacto para esclarecimento de dúvidas e envio de comentários e sugestões; Espaços Web1.0 criados para discussão e auscultação de opinião; Presença nas redes sociais; Participação ocorrências; Orçamento participativo e consulta do PDM. A Câmara Municipal de Viana do Alentejo é a primeira classificada neste critério. Classificam-se em segundo lugar três câmaras municipais com a mesma pontuação: a Câmara Municipal de Oeiras, a Câmara Municipal de Olhão e a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão. A recolha de dados efetuada neste estudo envolveu também o envio de mensagens de correio eletrónico, num total de 5 mensagens para cada câmara municipal. O número de mensagens dirigidas aos destinatários governativos que ficou sem resposta foi muito superior ao número de mensagens dirigidas aos serviços. Como revelam os números, só 74 (24,7%) dos presidentes de câmara responderam à mensagem, só 67 (22,1%) dos vice-presidentes o fizeram, e, só 22 (7,3%) vereadores da oposição responderam. Outra análise relevante diz respeito ao tempo demorado a responder. O tempo médio de resposta da mensagem simples dirigida aos serviços (52 horas) é substancialmente menor do que o tempo médio de resposta da mensagem complexa (228 horas), o que é, até certo ponto, compreensível, dado o facto da segunda carecer de ser reencaminhada entre serviços, algo que consome tempo. Como grande conclusão deste estudo retira-se que se continuam a verificar excelentes exemplos de presença na Web em autarquias com características e contextos muito diversos. Mais importante que o contexto, é a capacidade dos seus dirigentes e profissionais continuarem a desenvolver estratégias inovadoras tendo em vista a melhoria contínua dos serviços disponibilizados aos cidadãos e às empresas.
Tiporeport
URIhttp://hdl.handle.net/1822/45288
ISBN978-989-98010-2-8
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:DSI - Sociedade da Informação

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
EstudoCamarasMunicipais2012_final.pdf14,2 MBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis